Luanda – Uma delegação integrada por assessores da Presidência de Angola que deveria seguir para Glasgow, Escócia, a fim de acompanhar neste final de semana, o Presidente João Manuel Goncalves Lourenço, na Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática de 2021, viu-se “retida” na capital portuguesa por alegados motivos de desorganização.

Fonte: Club-k.net

Chegados a Lisboa na manhã de sexta-feira (29) provenientes de Luanda, a delegação presidencial contava fazer transito até a Escócia e assim antecipar para organizar e verificar as condições da estadia do Presidente João Lourenço que voou sábado no “voo presidencial”. Postos em Lisboa, a delegação viu-se confrontada com problemas de coordenação e ausência de comunicação acabando todos por ficarem uma noite na capital portuguesa, e com prejuízos  financeiros.

 

Ficaram inicialmente retidos em Lisboa, a delegação que acompanhava o assessor de imprensa, Luís Fernando, o brigadeiro Filipe Figueiredo que exerce as funções   de Secretário para os Assuntos de Telecomunicações e Informática da Casa de Segurança, e um homem de campo, Bernardo Adão Sebastião e um grupo de 25 assistentes na qual fazia parte um homem de campo, Coronel Bernardo Adão Sebastião. Resolvido os problemas a caravana seguiu viagem depois de 24horas.

 

O evento em Glasgow, Reino Unido, reúne vários chefes de Estados e de governo, entre os quais o americano Joe Biden, o brasileiro Jair Bolsonaro e o angolano João Lourenço, para discutir mudanças climáticas, recuperação económica e distribuição mais ampla de vacinas de prevenção ao Covid-19.

 

Segundo apurou o Club-K, na programação do evento, estão previstas a realização de oficinas, mesas de diálogo, visitas a iniciativas e projetos locais, apresentação de livros e revistas, com o objetivo de “fortalecer processos conjuntos de investigação, formação e informação, no campo da Educação Ambiental, contribuindo para o debate sobre o futuro do planeta”.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: