Lisboa – O jurista angolano Esteves Carlos Hilário, foi a poucos meses, indicado para ocupar o cargo de Vogal do Conselho Fiscal (VCF) do “Banco Valor”, instituição financeira que tem como PCA, o bancário Álvaro de Oliveira Madaleno Sobrinho. Estreando-se no sector bancário, com funções não executivas, Esteves Hilário passa acumular tais responsabilidades com a recente nomeação ao cargo de Director do Gabinete Jurídico e Intercâmbio do Governo Provincial de Luanda.

Fonte: Club-k.net

Jurista e docente de referência, Esteves Carlos Hilário é Professor de Ciências Política e Direito Constitucional, Direitos Africanos na Universidade Católica de Angola. Antes, fora por um período de dois anos, Decano da Faculdade de Direito da Universidade Metodista de Angola. Notabilizou-se mediaticamente como analista dos órgãos de comunicação do governo.

 

Na sequencia do VIII congresso dos “camaradas”, ascendeu ao Bureau Político do Comité Central do MPLA, partiu ao qual aderiu por via de um amigo de infância, Sérgio Luther Rescova Joaquim, já falecido. Até poucos dias, o seu nome fora apontado para uma importante posição na área da reforma do partido.

 

A sua nova  posição política  no BP do MPLA, coloca-lhe agora na condição de  Pessoa Politicamente Exposta (PEP), uma vez que por  razões éticas, os regulamentos das sociedades financeiras em Angola  desaconselham que os órgãos de administração dos bancos sejam integrados por dirigentes políticos. 

 

Apesar de não se identificar mais como académico do que político, Esteves Carlos Hilário é oriundo de uma família católica da província do Uíge, ligada a UNITA. O seu malogrado pai Pedro Hilario António, natural do Bembe, foi deputado a Assembleia Nacional pela UNITA, na primeira legislatura. No período de 1992, quando reascendeu o conflito pós eleitoral, a família esteve na sua terra natal Uíge que se encontrava sob ocupação militar pela UNITA. Foi despachado a Luanda por via das “Caritas Angola” tendo feito o ensino medio (ciências sociais) no colégio Pré Universitário Valentim Melo, onde conheceu um jovem do mesmo curso, Marcy Lopes, hoje ministro do governo.

 


Sérgio Luther Rescova Joaquim, antigo líder da JMPLA, terá sido o responsável pela sua elevação no MPLA, levando-o igualmente para o governo provincial de Luanda. Porém, terá sido pelas mãos do SG do MPLA, Paulo Pombolo que chega ao Bureau Político. Os três partilham o mesmo local de nascimento (província do Uíge).

 


De acordo com apurações, alguns membros da sua família terão também abandonado a UNITA, sendo que em Fevereiro deste ano Esteves Hilario aceitou um convite da TPA, que visou abordar as origens de Adalberto Costa Júnior. Para algumas fontes, a sua entrada ao BP do MPLA, é vista como uma “irritação” a UNITA.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: