Luanda - Em Angola fala-se de caos no sistema de saúde devido à persistência da greve dos médicos com acusações mútuas entre o Ministério e o sindicato da classe.O sindicato dos médicos e o ministério de tutela não chegam a um acordo.

*Avelino Miguel
Fonte: RFI

Angola continua a registar divergências entre o Ministério da Saúde e os médicos grevistas há uma semana, o que agudiza as degradantes condições do sistema nacional sanitário.

O Sindicato Nacional dos Médicos Angolanos e o Ministério da Saúde, apesar das negociações, ainda não chegaram a acordo sobre os principais pontos do Caderno Reivindicativo dos Médicos.

A revisão da tabela salarial, a anulação da suspensão do Presidente do Sindicato, Adriano Manuel, pelo Ministério da Saúde, devido ao exércicio da actividade sindical, estão entre os pontos do Caderno Reivindicativo.

A classe médica exige, igualmente, condições de trabalho e reforço de recursos humanos nos hospitais públicos.


Num comunicado distribuído à imprensa em Luanda o Ministério da Saúde angolano acusa o Sindicato de obstruir o bom sentido das negociações ao recusar a moratória proposta para viabilizar as reivindicações da classe médica por parte do Executivo.

O ministério apelou aos médicos para regressarem ao trabalho, assim como prometeu tomar medidas no quadro das suas responsabilidades públicas.

O Sindicato desmente o Ministério da Saúde e acusa a ministra Sílvia Lutucuta de arrogante e responsável pelo impasse, que registam as negociações.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: