Luanda - O líder do Conselho Nacional da Juventude (CNJ) diz-se satisfeito por fazer parte do grupo de jovens, que por meio do Programa Juvenil de Apoio à Produção Nacional (PROJAPRON), decidiu abraçar a luta contra a fome e à pobreza nas famílias angolanas.

Fonte: Club-K.net

Isaías Kalunga que discursava após a assinatura de um acordo com o Fundo de Apoio do Desenvolvimento Agrário (FADA), que nos próximos dias poderá disponibilizar mais de um bilhão de kawanzas, para projectos de iniciativa da juventude como cooperativas de agricultura, pescas, indústria, tecnologia, pecuária, logística e transportes, através do Programa Juvenil de Apoio à Produção Nacional (PROJAPRON), um programa promovido pelo CNJ, considerou que “a fome é uma arma de destruição em massa”.

 

“É muito satisfatório fazer parte do grupo de jovens que decidiram lutar contra a fome e à pobreza”, afirmou, acrescentando que “sempre sonhei em participar na luta do combate à fome por via da produção nacional, o PROJAPRON é um programa que começou sem apoios e mesmo assim estamos implementar nas 18 províncias do país e, hoje temos o FADA como parceiro, fruto do trabalho árduo”, disse.

 

Na sua intervenção, Isaías Kalunga sustentou que, o acordo acabado de ser assinado não será apenas para o auto sustento dos jovens, mas será também para criar os futuros empresários do país, jovens mais comprometidos com o campo.

 

“Vamos dar o nosso melhor para que os jovens possam alimentar suas famílias e consequentemente o país com os seus trabalhos nos campos”, disse.

 

“A democracia dá-nos a liberdade de dizer temos fome, mas também dá-nos a oportunidade de sermos nós o produtor do nosso próprio alimento. Se nos unirmos com os meios necessários e a força que caracteriza a juventude angolana, voltaremos a ser potência nos mais variados setores produtivos”, afirmou.

 

Com pouco menos de um ano, de acordo com o líder do CNJ, através do Programa Juvenil de Apoio à Produção Nacional, mais de 20 mil jovens já beneficiam dos mais variados projectos do PROJAPRON, que considera ainda é pouco pelo que se pretende almejar.

 

“Alimentar as famílias por intermédio da força da Juventude, sempre foi meu sonho, por isso criamos o PROJAPRON para tornar o sonho em realidade”, sublinhou o presidente do Conselho Nacional da Juventude.

 

Isaías Kalunga assegurou que a parceria firmada com o FADA, de 1. 800 000 000 (Um bilhão e oitocentos milhões de kawanzas) não será apenas para o auto sustento dos jovens, “mas será também para criar os futuros empresários do país, jovens mais comprometidos com o campo”.

 

“Não estamos aqui para falar política, estamos aqui porque acreditamos na força e capacidade da juventude desse país, nós podemos transformar a terra em ouro verde, tal como disse o Presidente da República João Lourenço”, finalizou.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: