Demissão de A. Solombe confirmam que, afinal, poucas diferenças há

O jornalista e director da "Rádio Despertar", Alexandre Solombe, apresentou recentemente o seu pedido de demissão à direcção da UNITA devido a supostos desentendimentos com o secretário para Comunicação e Marketing do Galo Negro, Adalberto da Costa Júnior, apurou NL em Luanda junto de fonte segura.

"O (Alexandre) Solombe deixa a rádio por não ter aceite fazer jornalismo partidário. Ele era muito pressionado por alguns elementos do partido. Isso criou um mal estar clima entre ele e alguns membros da direcção do partido, sobretudo com Adalberto Júnior", revelou a nossa fonte.

O pedido de demissão do jornalista, segundo a nossa fonte, já foi aceite pela direcção da UNITA, o que vai levar, nos próximos dias, a direcção do segundo maior partido angolano a procurar no mercado um profissional experimentado para dirigir a emissora.

A "Rádio Despertar, emissora comercial criada ao abrigo dos Acordos de Paz em Angola, funciona desde 2006 e substituiu a antiga Voz da Resistência do Galo Negro (VORGAN), emissora da UNITA.

Instalada em Viana, nos arredores de Luanda, contando com 15 profissionais e 18 horas de emissão diária. Da sua grelha de programas constam espaços informativos, de entretenimento, cultura e desporto.

A "Rádio Despertar" possui correspondentes em Cabinda, Uíge, Benguela e Huíla.

A atitude da direcção da UNITA, relativa ao director da "Rádio Despertar", é assustadora para os jornalistas angolanos. Tal atitude deixa no ar a ideia de que quando o Galo Negro for poder em Angola a sua política (postura) em relação aos órgãos de Comunicação Social públicos será igual (ou pior) que a do actual partido no poder, o MPLA.

É que se Alexandre Solombe, que é militante da UNITA, foi "vítima" de várias pressões para privilegiar o Galo Negro, então os directores da Rádio Nacional de Angola (RNA), Televisão Pública de Angola (TPA), Angop e Jornal de Angola, bem podem ir colocando as "barbas de molho".

* Jorge Eurico
Fonte: NL



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: