Lisboa - António José Mendes Pereira Campos Van-Dunem “Toninho”, antigo secretario do Conselho de Ministros é a figura a quem João Manuel Goncalves Lourenço amiúde tem mostrado discretos sinais de “reabilitação” traduzida na preferência no mesmo para se juntar aos grupos económicos que andavam em mãos de antigos oficiais ligados a José Eduardo dos Santos.

Fonte: Club-k.net

PARA MISSÕES EMPRESARIAIS 

“Toninho” Van-Duném, é próximo ao casal presidencial, por via de uma amizade antiga que veem cultivando a vários anos. De acordo com fontes do Club-K, o Presidente JL tem contado o com ele, na sombra, em missões de capitação de investimento externo para o governo. A preferência de Lourenço na sua pessoa são espelhadas nos seguintes sinais a saber:


- Numa abordagem que manteve com João Lourenço viu-se encorajado a juntar-se ao Banco Económico (BE) de que se tornou no maior acionista com 24,71%, passando a Sonangol, Imocel ou o general Leopoldino do Nascimento que está em vias de se retirar.


- Por via do decreto presidencial 15/21, o presidente João Lourenço incluiu o seu grupo empresarial VDB – Limitada, no consorcio para Exploração de Depósitos Primários na Concessão do Camutué, mina que era até Dezembro de 2020, controlada por uma empresa ligada a Isabel dos Santos. A gestão da referida mina é assegurada pela OMATAPALO.

 

- Tornou-se desde 2018, no detentor de 6,5% das participações na NOSSA SEGURO  após compra de 5% da posição do grupo Mateba. É atualmente vogal da comissão de remuneração desta seguradora que tem o banco BAI, o maior accionista. 


- No seguimento da pandemia provocada pelo Covid-19, foi chamado para ajudar o governo nos primeiros contactos para aquisição de vacinas de prevenção a doença, junto de parceiros externos.


- “Toninho” Van-Duném está presente na SIEMES, a principal fornecedora de maquinaria as principais unidades hospitalares em Angola, por via de Ilda Maria da Costa Simões Fernandes, que trabalha para sua firma de advogados “SVA – Sociedade de Advogados”.


Antigo membro do circulo presidencial de JES, Antônio Van-Dunem ingressou nos quadros da presidência da republica em 1993, e durante muitos anos foi o Secretario do Conselho de Ministros, operando como uma espécie de primeiro ministro. Ao longo dos anos de poder tornou-se sócio de muitas empresas tais como “Belas Shopping Park”, UNITEL, GENI. É-lhe atribuído a titularidade da ENAGOL- Energias de Angola, empresa prestadora de serviços e fornecedora de bens as empresas petrolíferas em Angola.


Demitido do cargo de secretário do Conselho de Ministros em 2004, na sequência de sérias desinteligências com o seu maior rival político, Carlos Maria Feijó, António Van-Dúnem nunca mais regressou a esfera do poder. Em função de um atrito entre ambos durante uma acareação com JES, um dos dois foi visto com um dos dedos da mão esquerda fracturado.


Não há ainda dados suficientemente para se aferir que Antônio Van-Dunem se tenham se tornado no “General Dino” do Presidente João Lourenço.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: