Lisboa  - José Eduardo dos Santos (JES) não se opõem as demolições efectuadas pelo executivo de Isaac dos Anjos a quem chega a dar razão. Uma apreciação subtraída  da sua opinião pessoal, emitida em  privado, da conta que o mesmo entende que a construção anárquica de moradias entre a subestação eléctrica do Lubango e a linha do caminho-de-ferro,  põem em risco a vida das populações.

 


Fonte: Club-k.net


São identificadas em JES, manifestação  de  solidariedade  em torno da coragem que o governador da Huila teve em enfrentar   a corrente  de contestação/pressão contra si, não obstante, os colegas o terem deixado sozinho.

 

Nos últimos dias seguiu para aquela província uma delegação parlamentar chefiada por Higino Carneiro e uma  outra liderada pelos Ministros Bornito de Sousa e João Baptista Kussuma. A presença dos mesmos  enquadra-se no pensamento identificado em  José Eduardo dos Santos.


As demolições na Huila estavam a ser seguidas de suspeitas segundo a qual JES afastaria nos próximos  tempo o Governador daquela província. A nível  do regime, tais suspeitas ganharam consistência   logo após terem surgido informações segundo a qual seria afastado um dos Vice governador da Huila e que no seguimento da aceleração do processo  foi apresentado recentemente proposta a uma figura partidária para servir o posto junto aquele executivo, nos próximos três meses.


A província da Huila tem três Vice governadores, Sérgio  Cunha Velho que responde para  a esfera social, Pontes Pereira para esfera econômica e uma Senhora, Vitoria F Correia para área técnica cuja relação institucional com o governador são descritas como não sendo das melhores.


Outras razões que alimentaram a tese segundo a qual Isaac dos Anjos estaria de saída do executivo:


-  Ocorrência de sentido isolado  entre governador e dirigentes do comitê provincial do partido; seguido de pretensões de bruscas mexidas no executivo provincial com realce ao  afastamento do administrador do Lubango, Virgilio Tyova que é uma figura com aceitação interna.


- Envio de uma delegação parlamentar do MPLA na província para visitar as populações que foram alvo das demolições levadas a cabo pelo executivo provincial e que foram  antecedidas de criticas de três deputados da UNITA que visitaram o local.


- O noticiário da  RNA do dia 24 fez abertura com lamentações de populares no Lubango que foram alvo da onda das demolições (Sinal entendido de que o Governador esta desprovido de protecção)


- Desgaste da imagem do regime por reflexo de  uma onda  de manifestações em  Benguela e na diáspora a pretexto das demolições levadas a cabo pelo governo provincial da Huila


- Surgimento de um rumor infundado, em Fevereiro passado segundo a qual a figura a quem recairia  o posto de governador da Huíla seria  o ex Ministro da Comunicação Social, Manuel Rabelais. Rumor desvalorizado e dado como pura especulação.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: