Lisboa – No seguimento de reformas que tem vindo a realizar a nível da Casa Militar, o ministro de Estado, general Francisco Pereira Furtado pós termo a um grupo de estruturas que foram criadas no passado como fontes de rendimentos extras para favorecer altas patentes da Presidência da República.

Fonte: Club-k.net

De acordo com apurações, foram extintas estruturas como as chamadas brigadas de limpeza, as brigadas de desminagem, empresa de jardinagem, destacamento de obras especiais, Gabinete de Ação psicológica (GAP), e etc.

A iniciativa do ministro, é vista como resultado de um apelo lançado pelo PR João Lourenço, na tomada de posse do governante, em que o desafio a realizar “limpeza de todos os efectivos fantasmas que encontrar nos Órgão de Defesa e Segurança”, que é uma realidade que nas últimas décadas serviram de fonte de enriquecimento para os oficiais deste órgão de auxilio do Chefe de Estado.


Durante varias décadas a Casa Militar acolhia varias estruturas fantasmas que serviam para enriquecimento pessoal de alguns oficiais. Os salários eram pagos a mão, a sombra de uma arvore de um estaleiro do CIF, no quilômetro 28, em Luanda.


Em 2012, o Maka Angola dava conta do Destacamento Central de Protecção e Segurança da Casa Militar da Presidência da República (DCPS), como sendo uma estrutura fantasmas criada em 2004, para garantir a protecção dos projectos de reabilitação de infra-estruturas em todo o país. O portal de Rafael Marques dizia na altura que em Janeiro daquele ano, o chefe da Repartição de Pessoal e Quadros da UGP, coronel Henriques Chilembo Alfredo, explicou à Polícia Judiciária Militar que a UGP não tinha controlo sobre o pessoal afecto ao DCPS da Casa de Segurança.


Na província de Cabinda, havia ou há um chamado “Destacamento da Casa de Segurança” que tinha um financeiro e chefe de pessoal, coronel Domingos Antônio que já fora denunciado como “culpado” pelo atraso dos ordenados dos soldados que eram, na visão dos prejudicados, supostamente descaminhados para financiar o seu clube de futebol “Domante Futebol Clube do Bengo”.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: