Luanda  – O Conselho de Ministros (CM) aprovou esta quarta-feira o projecto de construção do novo Aeroporto Internacional de Luanda e o novo conselho de administração da Zona Económica Especial Luanda-Bengo.


Fonte: Angop
 

ImageReunido em sessão extraordinária, sob orientação do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, o Governo ratificou também a Programação Financeira do Tesouro do quarto trimestre deste ano e o ajustamento salarial da função pública.

 

 

O projecto sobre a desanexação do Centro Político Administrativo e o Plano Arquitectónico e Urbanístico do Instituto Superior de Tecnologias de Informação e Comunicação, foram igualmente aprovados.

 

Novo aeroporto vai receber 10 milhões de passageiros por ano

 

O novo aeroporto internacional de Luanda,  terá uma capacidade para atender 10 milhões de passageiros por ano e será equipado com 12 mangas de embarque e equipamentos aeronáuticos modernos.

 


O novo aeroporto internacional está a ser construído nas proximidades do município de Viana, a cerca de 40 quilómetros de Luanda, numa área de cerca de mil e 324 hectares.

 


O ministro dos Transportes, Augusto Tomás, disse aos jornalistas, após a reunião do Governo, que o projecto resulta de um “diagnóstico exaustivo” sobre a situação do Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, cujas infra-estruturas estão “saturadas e localizadas entre a malha inter-urbana da cidade de Luanda, sem possibilidades de expansão”.

 


O aeroporto estará interligado à rede rodo ferroviária prevista para zona, tendo em conta o desenvolvimento de novas centralidades naquele perímetro.

 


Segundo o ministro, pretende-se também que o projecto sirva para a recepção, escala, distribuição de passageiros a nível das regiões da África Austral e Central, devido a posição estratégica do país.

 


Na reunião desta quarta-feira, o Governo aprovou ainda o projecto arquitectónico e urbanístico do Instituto Superior de Tecnologias de Informação e Comunicação.

 


As instalações servirão para a promoção e capacitação dos recursos humanos no domínio das telecomunicações e tecnologias de informação, para suporte do projecto Angosat e do espacial nacional.

 


O projecto arquitectónico integra, para além do Instituto Superior de Tecnologias de Informação e Comunicação, habitações para o corpo docente, instalações de internato e refeitório para o corpo discente.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: