Luanda - Maria é uma menina de cinco anos, filha de pai português e mãe angolana. Desde os dois anos que Maria é abusada sexualmente por pessoas próximas a sua mãe, Teresa Muhongo. Teresa é divorciada de Manuel Guerra (pai de Maria).

Fonte:

Em 2019 Maria foi agredida gravemente na cabeça, em casa que morava com sua mãe. Foi dada queixa crime a fim de criminalizar os agressores.


Pouco depois Maria apresentou dificuldades na fala. Sempre retornava em casa de seu pai. Maria apresentava comportamentos sexuais estranhos, coisa que chamava à atenção das babás e do pai.


Aos quatro anos e meio a babá encontrou sangue nas cuecas de Maria (como se pode ver nas fotos) e Maria contou que era abusada sexualmente em casa da Mãe, por quem ela chama de “tio” mas na verdade é o namorado de sua mãe.


O hospital psiquiátrico de Luanda junto à equipe clínica comprovou o que Maria já tinha dito muitas vezes... Os abusos sexuais eram reais.


De lá para cá, vários são os processos que decorrem em tribunal para que as pessoas que fizeram isto se apresentem e sejam responsabilizadas, mas até aqui nada foi feito.
Maria Alice José da Silva é a Juíza do Julgado de Menores que acompanha o caso da menina Maria e mesmo com todas as provas dos abusos que a menina sofria em casa da mãe voltou a fazer a mesma burrada, deu a guarda da Maria para Teresa Muhongo, que sempre apresentou uma conduta duvidosa.


Por tudo isso, ficamos a nós perguntar: Para quem a Juíza Maria Alice José da Silva trabalha? Porquê não quer resolver o assunto da Maria da maneira mais justa e imparcial possível?


Várias são as terapias que a Maria tem passado depois dos abusos e agressões, Maria ficou com debilidades na fala e outros transtornos psicológicos.


Em vários vídeos e áudios a Maria conta como aconteceram os abusos e o mais surpreendente acontece é que Maria diz o nome do seu estuprador, "Carlos".


JUSTIÇA!



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: