Brasília - Pelo menos 100 angolanos residentes no Brasil fizeram o seu registo eleitoral, nesta terça-feira, em Brasília, para sua participação nas próximas eleições previstas para Agosto deste ano.


Fonte: Angop

Na segunda-feira, tal como em outras partes do mundo, os postos foram abertos nos consulados de S.Paulo e do Rio de Janeiro, de acordo com o estipulado por lei.

 

Aproximadamente 10 mil angolanos, entre diplomatas, estudantes e trabalhadores que residem em território brasileiro, deverão exercer o seu direito de voto.

 

De acordo com os números do Ministério da Administração do Território (MAT), são 400 mil angolanos, espalhados por 57 países, que contam com o apoio de 76 missões diplomáticas. A maioria distribui-se por 13 países.

 

O registo eleitoral no exterior do país está a ser feito mediante apresentação do BI. Ao eventual votante é passado um documento simples que atesta a sua localização no momento do registo.

 

O despacho presidencial n.º 189/21, de 10 de Novembro, refere a necessidade de adopção de um procedimento concursal célere que permitia a contratação para a aquisição dos serviços necessários à materialização do registo eleitoral.

 

Do valor global e para a aquisição de serviços de assistência técnica e tecnológica para o registo eleitoral no exterior, o Governo desembolsou 6,9 mil milhões kwanzas.

 

A aquisição de serviços de instalação de equipamentos, recolha e transmissão de dados para o registo custou 25,9 mil milhões kwanzas, enquanto a implementação do sistema de comunicação de suporte das operações para o registo rondou os 2,2 mil milhões kwanzas.

 

Os serviços de operações de apoio aos órgãos da administração local do Estado das missões diplomáticas e consulares, no âmbito do registo eleitoral, custariam 7,8 mil milhões kwanzas.

 

O registo eleitoral oficioso no país arrancou em Setembro, num processo gradual até ao final do ano, com custos que rondariam os 120 mil milhões kwanzas.

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: