Lisboa – Estava previsto para esta quinta-feira (24), no parlamento angolano a votação de dois pedidos de requerimento apresentados pela UNITA, no passado dia 10, visando uma “AUDIÇÃO PARLAMENTAR A CNE” e outro para criação de uma “COMISSÃO EVENTUAL PARA O ACOMPANHAMENTO DO PROCESSO ELEITORAL” em consequência das irregularidades e violações a lei cometidas pelo Presidente da CNE, Manuel Pereira da Silva “Manico”.

Fonte: Club-k.net

Presidente da AN teme debate sobre transparência eleitoral

No momento em que os deputados se encontravam na sala de votação, foram comunicados que o tema não foi agendado porque os dois requerimentos ficaram extraviados no gabinete do Presidente do parlamento, Fernando da Piedade Dias dos Santos “Nandó” e que o mesmo também ainda não leu os conteúdos dos documentos para tomar decisão e o seu respectivo agendamento. Os porta-vozes do gabinete de “Nandó” comunicaram que poderão ver o assunto na próxima semana.

 

Em meios da oposição angolana, deu azo a leituras segundo as quais estas desculpas terão sido a forma encontrada por “Nandó” para não trazer ao debate o tema da transparência das eleições em Angola, na Assembleia Nacional, o que equivalia a exposição pública dos atropelos cometidos por Manuel Pereira da Silva “Manico”, na CNE.

 


Excluído os temas da transparência eleitoral, o parlamento levou a votação um outro Requerimento apresentado pelo Grupo Parlamentar da UNITA, com conteúdos relativos à greve dos médicos e dos professores. O Grupo Parlamentar do MPLA votou contra a aceitação e discussão do Requerimento, impedindo assim a sua discussão.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: