Lisboa – Está a se verificar um clima de mal estar no Sindicato Nacional dos Magistrados do Ministério Público (SNMMP), por conta de distribuição de viaturas pela PGR, na qual se alega que o líder sindical, José Buanga, terá beneficiado de uma. Os colegas entendem que deveria rejeitar em solidariedade a luta por direitos de mais regalias que tem desencadeado.

Fonte: Club-k.net

De acordo com um documento que o Club-K teve acesso, foram distribuídos 29 viaturas para apoios de serviços que foram entregues a todas as direções provinciais da PGR. Foram igualmente distribuídas 46 viaturas (Toyota Prado) para uso pessoal dos magistrados do Ministério Público pelo que a PGR promete que “as aquisições continuarão a ser feitas na medida da disponibilização de recursos financeiros para o efeito e proceder-se-á a distribuição das viaturas tão se logo sejam entregues pelo fornecedor”.


Tendo em conta que o SNMMP atravessa um período de reivindicações e ameaças de greve (prevista por um período de dez dias, entre 21 de março e 01 de abril de 2022), os membros do Sindicado são de opinião que em solidariedade da classe, o líder sindical deveria recusar a viatura enquanto o Conselho Superior da Magistratura do Ministério Público, não reagir a cerca do conteúdo das cartas enviadas em que expõem as suas reivindicações respeitantes a as péssimas condições laborais, restrições dos seus direitos e regalias.

O facto de o critério de distribuição de viaturas ter sido para magistrados que tem mais de 14 anos de serviço, está a dar azo a versões segundo as quais o líder sindical, José Buanga, foi favorecido, uma vez que ele não reúne as condições por ter apenas três anos de casa.

Os seus colegas interpretam que a oferta de viatura ao mesmo poderá ter sido um artificio das autoridade para o comprometer. “ele deveria abdicar deste presente, deram-lhe para lhe calar a boca”, lamenta uma fonte que acompanha o assunto de perto.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: