Lisboa - O Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, deixou Cabo Verde onde cumpriu uma visita de Estado, de três dias, seguindo agora para a cidade de Orlando, nos Estados Unidos da América, onde geralmente faz os seus exames de controlo da próstata, numa das mais reputadas clínicas do mundo na matéria.

Fonte: Club-k.net

Há três anos que não era visto pelo seu médico americano

João Lourenço, não é visto pelo seu médico americano desde Janeiro de 2019, devido a questões de agendamento que depois viriam a se comprometer com o surgimento da pandemia do Covid-19. Ao ficar três anos sem ir a Orlando para o acompanhamento, numa daquelas que é considerada a mais sofisticada clínica da próstata nos EUA, esta é a segunda vez que o líder angolano fica uma longa temporada sem fazer a sua revisão naquele país. Já em finais de 2017, viu-se impedido de viajar devido a agenda eleitoral, em Angola, mas seria em Março do ano seguinte que ai viajou.

 

Sobre a sua saúde, João Lourenço repartia em vários países. Em Angola é assistido por um médico oriundo do hospital militar, o brigadeiro Vasco Sabino da Silva. Para o acompanhamento da próstata visita uma das melhores clinicas dos EUA, em Orlando, isto desde o tempo em que assumia a pasta de ministro da Defesa Nacional. Para as consultas de oftalmologia, o Presidente é assistido numa clinica situada na cidade espanhola de Oviedo, havendo indicadores que já terá também recorrido aos francês para outras questões.

 

Há uns anos, o seu antigo superior hierárquico, José Eduardo dos Santos, teria abordado a cúpula do MPLA sobre o tema da sucessão presidencial. Julgando que o tema poderia ser uma “casca de banana”, para o testarem, Lourenco antecipando a sua indisponibilidade chegando a invocar questões de saúde que o levavam a tratar de um problema de uma alegada hérnia em França. Até aos dias hoje não está claro se frequentava paris para tratar da saúde ou se foi um “bleff” para não mostrar a JES que alimentava pretensões para o cargo presidencial.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: