"As informações que circulam aqui em Saurimo, no Luena e noutras regiões do leste de Angola são infundadas e descartadas de qualquer credibilidade", explicou.

O responsável fez esta afirmação no acto central das comemorações do 33º aniversário da Força Aérea Nacional (FAN) que decorreu na Base Aérea de Saurimo, província da Lunda Sul.

De acordo com o general Furtado, o comportamento assumido e pronunciamentos irresponsáveis de alguns círculos localizados no país visam manchar a imagem das FAA e de Angola.

"Queremos tranquilizar a juventude que o ingresso nas FAA é feito e sempre será realizado dentro dos parâmetros da Lei", garantiu o responsável.

O chefe de Estado Maior das FAA explicou que nesse momento decorre nas instituições de ensino militar o ingresso de jovens que queiram abraçar a carreira militar, bem como o processo de recenseamento militar dos jovens abrangidos.

"Angola é um país uno e indivísvel, de Cabinda ao Cunene, do mar ao leste. É este o primado da Lei e no quadro das suas missões, as FAA defenderão a paz e garantirão sempre a integridade, a segurança, a paz e a defesa militar de Angola", esclareceu o general Francisco Pereira Furtado.

No dia sete de Janeiro, o chefe de Estado Maior das Forças Armadas Angolanas já havia desmentido tais rumores, afirmando que as FAA não precisam recrutar jovens para qualquer missão no interior ou exterior do país.

Fonte: Angop



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: