"É desencorajador que essa organização venha agora dizer que Angola é o país que menos observa os direitos e liberdade dos cidadãos, porquanto se deve encarar os direitos num contexto amplo", disse.

Partindo do pressuposto do direito à vida, à alimentação, à saúde e educação, "Angola tem dado passos significativos neste sentido", frisou Bembe.

"Se referir o cumprimento integral dos direitos dos cidadãos, nenhum país os cumpre. E Angola, que vem de uma guerra de mais de 30 anos, está a dar evidências de realizar esforços para cumprir com os direitos mais elementares dos cidadãos, o que é compreensível", concluiu.

Recorde-se que a organização não-governamental norte-americana Freedom Houe qualificou Angola como o "menos livre" dos países lusófonos. As categorias que incluem mais países lusófonos são as de "parcialmente livres" - Guiné-Bissau, Timor Leste e Moçambique - e livres - Portugal, Brasil, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe.

Criada em 1972, a Freedom House se dedica a actividades de apoio à expansão das liberdades a nível mundial, e monitora a evolução dos direitos políticos e liberdades cívicas.

Fonte: Lusa  



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: