Lisboa – O Comité do MPLA em Luanda, afastou há duas semanas Wankana Mondlane Bento de Oliveira, um dos seus destacados quadros do Departamento de Informação e Propaganda que tinha competências sobre a produção de “fakes news” contra adversários junto ao sector “cyber náutico” de que fazia parte.

Fonte: Club-k.net

O DIP de Luanda, tem como titular Djamila Fragoso dos Santos, e adjunta Suzete Alves Tavares Antão, uma militante procurada pela justiça portuguesa. Com a evolução das redes sociais nos últimos anos, foi criada uma área de “cyber náutica” para dar resposta a demanda como também responder acusações contra o partido, e divulgar as suas ações. Com a reentrada de Bento Bento, Wankana de Oliveira fora chamado para dar o seu contributo ficando com a tarefa de disseminação de desinformação e “fakes news”.


O seu substituto no sector das "fake news" é desconhecido. As fontes do Club-k, não descrevem as razões do afastamento deste militante do DIP apenas alegam que "foi corrido" e que nada esta perdido porque o mesmo irá centrar-se na assessoria dos feitos do ministério da energia e agua, entidade que recentemente ofereceu-lhe uma viatura.


Depois do congresso de 2021, Wankana Oliveira, foi citado como um dos quadros que estava bem quotado para ser elevado a membro do Comitê Central. Logo a seguir surgiram rumores alistando-o numa alegada lista de militantes que ameaçavam por termo a vida, por não terem entrado no Comitê Central.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: