Lisboa – Foi recentemente registrado, um clima de mal estar no conhecido grupo de antigos militantes da UNITA que abandonaram o partido para se juntar ao MPLA. Trata-se do grupo que no ano passado recorreu ao Tribunal Constitucional solicitando a anulação do congresso de 2019 do maior partido da oposição, que elegeu Adalberto Costa Júnior. Em troca beneficiariam de contra partidas oferecidas pelo regime.

Fonte: Club-k.net

De acordo com informações, o líder do grupo Kawiki Sampaio da Costa, é dado como tendo recebido as últimas tranches monetárias e algumas moradias para fazer a distribuição aos elementos que trabalharam na operação do pedido de impugnação do congresso da UNITA.

 

É alegado que o adjunto do grupo Domingos Pedro, e outros, ao tomarem conhecimento que Kawiki da Costa recebeu as casas do regime mas estava a ser demorado para fazer a distribuição aos destinatários gerando desconfianças entre os mesmos. Kawiki da Costa foi interpelado pelo que foi obrigado a fazer a entregada de tudo.

 

No passado mês de Abril, Kawiki Sampaio da Costa, anunciou em comunicado de imprensa a criação de um movimento cívico “Alerta-Angola” cujo objetivo é a divulgação dos feitos da governação do Presidente da República João Lourenço, durante o quinquênio 2017/2022, e trabalhar na reeleição do mesmo nas próximas eleições de Agosto deste ano.

 

Ao nível do regime, o seu principal interlocutor, é o general José Ferreira Tavares que Preside a Akwa-Sambila coordenando as operações de desgaste a imagem do Presidente da UNITA, Adalberto Costa Júnior.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: