Luanda — O movimento cívico MUDEI entregou na terça-feira, 3, uma solicitação à Comissão National Eleitoral (CNE) para o seu credenciamento como observador nacional para eleições gerais de Agosto.

Fonte: VOA

O movimento é integrado por várias organizações da sociedade civil que querem acompanhar com estatuto de observador as próximas eleições.


Florindo Chivucute, director executivo da organização "Friends of Angola", que integra o MUDEI, afirma o movimento tem capacidade para uma verdadeira observação.


“Fazem parte várias organizações da sociedade angolana e personalidades, por isso acredito que se o movimento Mudei continuar a crescer vai poder observar o processo em todo o país”, assegura Chivucute em entrevista à VOA.


Alexandra Gamito, uma das coordenadoras do MUDEI diz-se espectante com a aceitação da plataforma para a observação eleitoral como forma de participação no processo eleitoral angolano.


“Certamente que esperamos uma resposta do presidente da Comissão Nacional Eleitoral e, consequentemente, o credenciamento e a formação para fazer a observação eleitoral, para isso esperamos que todos que solicitaram hoje lhes sejam carantidos esta possibilidade”, acrescenta.


O MUDEI é integrado pelas organizações Mosaiko, Handeka, Ambuila, Friends of Angola, Jango Cultural, Rede de Activistas de Benguela e o portal Club-K.


O movimento tem ainda como parceiros o Laboratório de Ciências Sociais e Humanidades da Universidade Católica de Angola (LAB), Mbakita (Kuando Kubango), a Associação Ame Naame Omunu (ANO), do Cunene, Mentes Brilhantes (Bié), Soka Yola (Huíla), e outras associações em fase de legalização espalhadas pelo país, como a Mudar Viana (Luanda), Semente Solidária (Moxico), Yeto Mu Yeto (Zaire), Nhonga Kuluftwe (Lunda-Norte) e o portal !STO É NOTÍCIA.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: