Lisboa - Maricel Marinho da Silva Capama, alta dirigente do MPLA, exigiu 40 milhões de kwanzas por reparos morais ao seu bom nome, a um responsável da UNITA, Alexandre Dias dos Santos, “Libertador” a quem ela moveu uma queixa crime de calunia e difamação. O caso corre desde o passado dia 24 de Março, no Tribunal Provincial de Luanda, localizado no município do Icolo e Bengo.

Fonte: Club-k.net

A divergência entre os dois políticos, começou quando no primeiro semestre do ano passado, Maricel Capama que é igualmente comentarista do programa “Política do Feminino, fez comentários de caráter pessoal contra o líder da UNITA, Adalberto Costa Júnior, chamando-o de pedófilo. Em reação, Alexandre Dias dos Santos, insurgiu-se contra a Maricel dizendo que a dirigente do MPLA, não tinha moral de atacar o presidente do “Galo Negro”, por ser uma suposta “Gatuna de marido”.

 

Maricel Capama recorreu ao Serviço de Investigação Criminal (SIC) para fazer participação. Resultando no processo 3166/20-OP, conduzido pelo investigador Paulo Gonçalves.

 

O jornais que cobriam o assunto dizia que o político da UNITA, Alexandre Dias dos Santos, terá feito as suas declarações baseando-se num episódio ocorrido em Agosto de 2018, em que Maricel Marinho da Silva Capama, ao tempo vice-governadora provincial do Huambo para o sector Político, Social e Económico, foi vitima de violência domestica no seguimento de uma desavença conjugal que resultou na alteração áspera do esposo, Domingos Nilton César Capama.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: