Lisboa – O Presidente da República João Manuel Gonçalves Lourenço viaja, em serviço, no próximo dia 13 de maio, a província do Huambo, e como é de habitual fará um comício partidário, na qual os professores já começaram a ser mobilizados/forçados a estarem presentes na recepção no aeroporto Albano Machado como no acto de massas agendado para sábado (14).

Fonte: Club-k.net

“São convocados todos os professores do complexo escolar comandante Joaquim Kapango, a participarem da recepção de Sua Excelência Senhor Presidente da República João Manuel Gonçalves Lourenço, repito PRESIDENTE DA REPÚBLICA DE ANGOLA, ANGOLA no dia 13-05-2022, portanto na próxima sexta feira, concentração as 7h na escola”, lê-se na convocatória enviada aos professores, e assinada pelo diretor da educação, Celestino Piedade Chikela.

 

A convocatória assinada pelo responsável da educação,faz ameaças advertindo que “a presença de todos os professores é de carácter obrigatório, repito OBRIGATÓRIO, sem desculpas de nada. Isso não é um pedido é uma ordem. A pátria aos seus filhos não manda, ORDENA”.

 

No inicio de Abril, o jurista e acadêmico Benja Satula chamou atenção a conduta do PR de Angola, em viajar para o interior do país, por conta do Estado e abusar da sua condição para realizar campanha eleitoral do MPLA.

 

“Quer transparência na gestão da coisa pública? Então não permita que o Presidente da República faça viagens com recursos públicos e pelo meio veste o traje partidário para lançar a pré-campanha, a isso chama-se "enriquecimento partidário ilícito" pois o seu partido poupa despesas com deslocação e hospedagem ‘QuovadisAngola Professores universitários e médicos em greve e ninguém lhes liga nenhuma”, repontou o jurista lembrando que “o país tem rumo”.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: