Lisboa – O alarido que uma das filhas do antigo Presidente José Eduardo dos Santos, protagonizou recentemente nas redes sociais invocando “caso de polícia”, “interferências da presidência” e “sequestro do seu querido pai”, terá sido em função de uma atitude da Casa Militar da Presidência da República, que decidiu trocar todos os guardas e “staff” de apoio que se encontravam em Barcelona, a proteger o antigo Chefe de Estado angolano.

Fonte: Club-k.net

ANA PAULA VENCE PRIMEIRA  BATALHA PELO CONTROLO DE JES

Tchizé dos Santos, uma das filhas que agora vive em Espanha, havia se ausentado de Barcelona, porém, quando regressou a cidade, deparou-se com a presença de novos membros da família idos de Luanda, como também alteração do “staff” de apoio ao ex-Presidente da República.

 

“Eis que eu vou a Londres alguns dias e quando regresso encontro Ana Paula dentro da casa. Alguém cujos carimbos do passaporte não mentem: nunca acompanhou JES nos últimos 4 anos”, disse Tchizé em áudios espalhados nas redes sociais, acrescentando que “desde que Ana Paula lá chegou há 15 dias. Estranho pois a segurança ligou aos médicos e disse que não podiam ir à residência e cancelaram a ida dos médicos. Disseram que os chamarão na semana que vem.”

 

A antiga deputada do MPLA, adianta que “Eu depois de ver tudo isso peguei as minhas coisas e vim-me embora”, pois segundo a mesma “Não quero que amanhã ainda me usem como álibi do que eventualmente se esteja a passar ali. Sinto-me impotente. Sinto-me triste”.

 

Tchizé revelou ainda que a irmã mais velha Isabel dos Santos foi expulsa de casa por Danilo dos Santos, que “ocupou todo o quarto de Coreon Du que é quem vivia com o pai a maior parte do ano a fazer companhia sendo que os demais iam de férias”.

 

Respeitante a mudança dos guardas, fontes do Club-k, adiantaram que o que a Casa Militar fez, tratou-se unicamente de “mudança de turno” de todo o “staff”, uma vez que são militares ao serviço do Estado angolano, e havia necessidade de irem a Luanda gozar as férias ao lado da família.

 

Para além dos guardas, foram substituídos e com ordens de regresso a Luanda, o principal ajudante de campo de JES, coronel Luís Fungo, o cozinheiro e o mordomo, que foi rendido por um oficial identificado por “Ernesto”.

 

Desde finais de Abril, que coabitam na residência de JES, em Barcelona, a reconciliada esposa Ana Paula dos Santos, três filhos do casal, noras, genros e as babas das crianças destes. Doravante, os outros filhos ou familiares que quiserem visitar Eduardo dos Santos, terão primeiro de comunicar a antiga primeira dama, e está, por sua vez, poderá autorizar aos guardas se pode ou não deixar entrar.

 

Os profissionais de saúde consideram JES como estando estável embora lhe foi recomendado repouso absoluto, e desligamento de todo tipo de noticias devido a depressão. De forma a não ser perturbado, a nova tutela de JES decidiu há poucos dias fazer uma carta como se fosse sua anunciando que só o seu médico pessoal João Afonso, está autorizado em falar do seu estado de saúde.

 

Em meios de família, há receios de que a recente carta forjada possa representar o pronuncio de mais uma briga surda entre Ana Paula e as filhas de JES, e que os autores da misteriosa carta possam depois forjar uma outra simulando que o antigo Presidente rescinde das visitas das filhas.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: