Cabinda - O Activista Político e Membro do MIC (Movimento Independentista de Cabinda) enfrenta graves infecções renais e anais contaminados na cadeia, causas pelas condições inóspitas e desumanas que propiciam a contaminação diversas doenças.


Fonte: Club-k.net

O Alexandre Dunge foi solto pelas autoridades angolanas para cumprir liberdade provisória, para submeter-se a tratamentos pois, ele enfrenta graves infecções renais e anais.

O Activista Alexandre Dunge encontra-se internado num posto médico tradicional, recebendo tratamento pela sua doença com apoio do MIC e seus familiares.

Importa recordar que o exímio Activista político, tinha sido capturado na sua casa no dia 6 de outubro de 2021, quinta-feira, às 07h00, sem quaisquer formalidades e justificações, facto é que, mesmo depois da detenção, não lhe foi exibido nenhum mandado de captura e nem lhe foi apresentado as razões da privação da sua liberdade a que ficou sujeita de graves irregularidades que a torna ilegal.

Por não aceitar ser submetido a interrogatório sem advogado da sua escolha, o Alexandre Dunge não foi submetido a interrogatório preliminar nem foi formal e oficiosamente constituído arguido.

Nesta situação, o secretariado para Informação e Comunicação do Movimento Independentista Cabinda (MIC) vem por meio deste, informar ao povo de Cabinda e à Comunidade Internacional que após um aturado trabalho, MIC conseguiu obter a liberdade provisória do Alexandre Dunge, depois de 7 meses de prisão. E infelizmente, Dunge encontra-se gravemente doente e muito debilitado.

Nota-se que as autoridades angolanas soltaram Alexandre Dunge por questões patológicas, estratégias para se livrar das possíveis consequências. Houve negligência médica durante a prisão e conta ainda que o Estabelecimento Penitenciário da Cadeia Civil recusava em dar-lhe assistência médica. " Importa realçar que o Dunge contraiu infeções renais e anais, que está fazendo que esse defecasse coágulos de sangue, deixando-o bastante debilitado porque as condições da cadeia são inóspitas.

Alcançado a liberdade provisória do Activista político, Alexandre Dunge, MIC (Movimento Independentista de Cabinda) ergue a luta persistente para a libertação incondicional do outro preso político António Victor Tuma, que se encontra preso desde outubro do pretérito ano 2021.

Secretário para informação e comunicação do MIC
- Eng.Sebastião Macaia

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: