Lisboa – O MPLA está em vias de divulgar a sociedade a biografia da trajetória política da sua candidata a Vice-presidência da República, em resposta as reclamações que punham em causa militância activa da mesma.

Fonte: Club-k.net

Actualmente a exercer o cargo de secretaria de Estado das Pescas, Esperança Maria Eduardo Francisco da Costa, entrou para o Comité Central do MPLA, em 2016, como membro suplente. Quando foi recentemente apresentada como candidata, os militantes do partido desconhecia a sua trajetória e sobre ela dizia-se apenas ser “uma amiga do casal presidencial” e que Ana Dias Lourenço frequenta a sua casa.

 

O seu currículo disponível dos sites do governo retrata apenas a sua trajectoria como técnica e acadêmica mas era a ausência de uma biografia política que estava a inquietar aos militantes levando com que a direção do partido resolvesse o problema.

 

De acordo com o “draft” da biografia política que o Club-K, teve acesso, a mesma oculta o local de nascimento, o nome dos progenitores e a data de nascimento. O documento alega que em 1974 foi da OPA e da JMPLA, no bairro indigna, uma versão que nos corredores do partido, já esta a cinicamente reclamada, uma que antes da Independência nacional não se podia ser da OPA e da JMPLA ao mesmo tempo. O documento indica igualmente que foi da “sessão da OMA no Rangel”, uma estrutura que fontes conhecedora alegam que neste ano não havia ainda a designação de “sessão”, mas admite-se estar se diamante de uma não problema o que a biografia pode ter sido feita por um quadro que poderá ter confundido os termos ou cometido erros.

 

No ano de 1990, segundo o documento Esperança Costa foi membro da célula do partido na Faculdade de Ciências, mas teve de desligar-se viajando para Portugal para conclusão do seu doutoramento. Retomou ao MPLA, no seu regresso ao país, em 1998.

 

No geral desde que se tornou militante, Esperança Costa, nunca ocupou nenhuma função ou cargo nas estruturas do MPLA ficando sempre na condição de “membro”, em todos os CAP que a biografia reclama ter passado.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: