Lisboa - No cumprimento de uma norma governamental que devolve o sistema de eleição nas instituições de ensino superior, a Faculdade de Economia da Universidade Agostinho Neto, deu iniciou esta semana com o processo de eleição do futuro decano para substituição.

Fonte: Club-k.net

Redento Pedro Carlos Maia, o decano da faculdade de economia da Universidade Agostinho Neto, decidiu concorrer para a sua sucessão, num processo polemico devido as acusações de irregularidades e de ter alegadamente corrompido o Conselho Geral professores para apoiarem a sua continuidade na instituição.

 

De acordo com as regras do jogo podem apenas participar no processo eleitoral acto professores efectivos que não tenham outra atividade para além da docência na Universidade Agostinho Neto.

 

Segundo denuncias o candidato Redento Pedro Carlos Maia aproveitando-se da sua condição de decano, terá recorrido a professores com dupla efectividade colocando-os para controlar o Conselho eleitoral, em troca de promoção em termos de carreira na instituição.

 

Pedro Maia inundou todos os órgãos do processo eleitoral com elementos que possam lhe garantir votos, como é o caso de Afonso Clemente Nzinga, que em condições normais não pode fazer parte dos órgãos eleitorais porque tem dupla efectividade. Para além de professor é igualmente director dos Recursos Humanos, Afonso Clemente Nzinga.

 

Na mesma condição de dupla efetividades estão os professores Fernando Vunge (igualmente gestor do Banco Yeto); Domingos Mpangu Lucilia (Assessor do Conselho de Administração da TAAG para o desenvolvimento organizacional), Daniel Pieze (Quadro efectivo da ENSA).

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: