Luanda - O professor angolano Mupia dos Anjos dá aulas na escola de ensino primário António da Conceição Ananás no bairro da Boa Esperança, no município de Moçâmedes, no Namibe, no sul de Angola.

Fonte: RFI

Nesta escola existem "oito salas de aulas, uma direcção escolar e quatro quartos de banho masculinos e femininos", apresenta-nos o docente.

 

Na sala número sete, decorrem as provas finais, que correram bem aos alunos. O professor Domingos António Campinga lecciona há cinco anos. Este ano tem 35 alunos e encontrámo-lo a recolher as provas de língua portuguesa. Na prova saiu um "ditado, interpretação e gramática", descreve.

 

Na segunda fila da sala de aula, sentado na secretária, Albano contou-nos que o ditado correu bem. "Saiu ditado e outras coisas, mas foi fácil", conta.

 

À frente de Albano está Adelia também tem 8 anos e pelo que os colegas contam é a melhor aluna da turma. "A prova foi fácil e não custou. Sou a melhor aluna porque sou a mais sábia da escola", conta a aluna.


No recinto da escola estão À espera os alunos da terceira e quarta classe. Domingos tem 11 anos e está contente por ter aula. "Gosto de escrever e ler, mas ainda escrevo com erros", admite.

 

Prosseguimos a visita pela escola com o professor Mupia dos Anjos, neste que é uma de duas escola do bairro da Boa Esperança. "Estamos com 400 e poucos alunos, empenhados a aprender. Estamos a tentar fazer o possível", conta o docente.

 

"A maioria dos alunos vivem no bairro da Boa Esperança. Outros vivem mais longe, no bairro 5 de Abril, no Forte Santa Rita", explica o professor.

 

Gabriel vive no bairro 5 de Abril, não sabe quanto tempo demora, mas vive neste bairro distante. Costa também vive no bairro 5 de Abril, mas por vezes, como nos contou, vem de mota para a escola.

 

A escola está a trabalhar para poder receber mais alunos para acompanhar o crescimento populacional do bairro. "Acredito que dentro de dois anos iremos ter mais salas de aulas. Não conseguimos matricular todas as crianças. A população é extensa e não temos salas para acolher tantas crianças. O nosso objectivo é que se criem mais escolas a nível da comunidade e não só", conta Mupia dos Anjos.

 

Os habitantes esperam que sejam criadas novas escolas para que nenhum aluno fique de fora do ensino publico em Angola.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: