Luanda - A Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA), um dos movimentos de libertação de Angola, pediu hoje à Comissão Nacional Eleitoral (CNE) "maior responsabilidade" na condução do processo eleitoral e o não atropelo à Lei, para salvaguardar a credibilidade do País a nível internacional.

Fonte: NJ

"A oposição tem vindo a denunciar as irregularidades à volta do processo eleitoral em curso no País. Para uma boa imagem do País a nível internacional, a CNE deve cumprir o que a Lei diz", disse o presidente da FNLA, Nimi a Simbi, durante uma reunião do comité central do seu partido que serviu para a aprovação da lista da candidatura do partido às eleições gerais de 24 de Agosto deste ano.

"O próximo pleito eleitoral em Angola, marcado para 24 de Agosto deste ano, será o mais competitivo desde 1992. Esperamos que a CNE faça um trabalho brilhante para o bem da estabilidade do País", acrescentou o presidente da FNLA, que admitiu a possibilidade de criar condições para uma contagem paralela de votos.

Relativamente à lista dos futuros deputados, Nimi a Simbi disse que esta reuniu consenso de todos e agora espera, com a entrega quarta-feira, da candidatura, o Tribunal Constitucional (TC) dê aval favorável para a FNLA participar nas eleições gerais.

"Os descontentamentos não faltam. Mas não podem estar todos na lista de deputados. O importante é que todos trabalhemos para que a FNLA ganhe as eleições para dar dignidades aos angolanos", disse o político.

Segundo apurou o Novo Jornal, os ex-presidentes do partido Ngola Kabangu e Lucas Ngonda, constam da lista, ocupando lugares privilegiados para serem eleitos como deputados.

"O ex-presidente Ngola Kabangu é o segundo da lista", confidenciou ao Novo Jornal uma fonte da direcção do partido, que garantiu que a FNLA terá bons resultados nas eleições, porque pela primeira vez vai ao pleito eleitoral unido.

Algumas vozes do comité central do partido defendem que Ngola Kabangu e Lucas Ngonda deveriam continuar como conselheiros do partido e priorizarem outras pessoas para o lugar de deputados. Nas eleições passadas, a FNLA) elegeu um deputado.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: