Luanda - Paz, Senhor Presidente! Paz é o apelo de um angolano da minha faixa etária, que a principal memória de infância é o conflito armado que destruiu o tecido social e económica do país, e do Huambo em particular, motivado pela falta de perdão e reconciliação entre os filhos da mesma Pátria. Por isso, estamos a apelar a dimensão humana do PR João Lourenço, numa altura em que um dos maiores expoentes do vosso partido e Arquitecto da paz encontra-se à beira da morte.

Fonte: Club-k.net


Senhor Presidente, apelamos ao perdão verdadeiro. Faça um novo pacto social, onde todos podem dar o seu contributo, sem olhar para as cores partidárias.


Uma das certezas que a vida apresenta é, sem sombra de dúvida, a morte. O factor idade, associado ao estado de saúde debilitado de JES, ajuda-nos a encarar com lucidez a eminente morte do Presidente "Emérito" do MPLA.


Tal como o Senhor Presidente referiu, durante o seu discurso de investidura ao cargo em 2017, "Agostinho Neto será sempre lembrado como Presidente da conquista da independência nacional, José Eduardo dos Santos é o Presidente da conquista da Paz; e espera ser lembrado como o Presidente do desenvolvimento sustentável do país".


Excelência Senhor Presidente, ser adepto do desenvolvimento sustentável é necessário começar em apostar no perdão, no amor ao próximo e na reconciliação nacional efectiva. Não é possível unir o país quando internamente o partido que sustenta o governo está fragmentado.


José Eduardo dos Santos é uma figura da história angolana que desperta paixões e enfurece multidões, pelas melhores e piores razões. Ou seja, JES é aclamado por ser o Arquitecto da Paz, o obreiro da reconstrução nacional e o mentor da criação do Governo de Unidade e Reconciliação Nacional (GURN). Contudo, a outra face da moeda mostra também um JES, que durante quase 40 anos, foi promotor da corrupção e impunidade, assassino do Estado democrático de e direito, o "progenitor" da parcialidade da comunicação social, Líder da bajulação, entre outros males. Ainda assim, os últimos momentos da "hora de by" do seu Antecessor deve ser aproveitado para unir os retalhos da Nação angolana.


Portanto, Sua Excelência Senhor Presidente da República e Comandante em Chefe, é hora de libertar o perdão efectivo e dar azo a reconciliação nacional efectiva com o "Homem" de quem recebeu às chaves para governar os últimos cinco anos, antes que as "maquinas" sejam desligadas em Barcelona.


É hora dos mais velhos deste país, com autoridade moral, darem um "puxão de orelha" ao Chefe de Estado e PR do MPLA no sentido apelar à sensibilidade humana e espírito patriótico de um Estadista que deve reconciliar-se com o seu antecessor no "leito da morte".

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: