Luanda - Há alguns anos, o Presidente JES fazia as suas consultas médicas no Brasil. Quando a familia presidencial ai viajasse, a esposa era merecedora de atenções da mídia brasileira, não só por ocupar a “modesta” suíte presidencial do Hotel Sofitel mas por distribuir “generosas gorjetas aos funcionários que a serviram”. Depois de 2006, JES passou a se tratar em Espanha, que de lá, agora surgem informações de que os médicos do Centro Teknon "afinal" não conheciam a esposa do ex-Presidente de Angola, o que levanta a ilação de que durante estes 16 anos de Barcelona, a antiga primeira dama não acompanhava o esposo a clinica, ou este a dispensava por não querer que ela tomasse conhecimento das suas patologias.

Fonte: Club-k.net


Este histórico de ausências de Ana Paula está servir para que os advogados das filhas de JES, em Barcelona consigam evidenciar que embora o casal esta oficialmente casado, mas na pratica observam uma “separação de facto”. Já não coabitam.


Em alguns países europeus tanto a “separação judicial” como a “separação de facto” do casal tem a mesma importância legal. Temos hoje uma Ana Paula dos Santos a perder a primeira batalha pela tutela do seu esposo oficial, em território espanhol, não pela “separação jurídica” mas pela “separação de facto” a JES de quem se separou desde 2017.


Ana Paula nunca chegou a viver na residência do Miramar. Os seus documentos de entrada em Espanha indicam que vive numa outra morada diferente a de JES, que desde 2017, mora no Miramar. Para os advogados espanhóis está mais que provado que Ana Paula não coabita com JES. É o nome da filha Isabel dos Santos, que está nos registros da clinica de Barcelona como responsável do paciente JES. Havendo uma “separação de facto”, a presença de Ana Paula, no hospital, poderia não representar vontade do paciente, se estivesse consciente. Como não esta consciente, as filhas falam por ele.


Para as mulheres angolanas fica a lição. Acompanhem sempre os parceiros nas consultas médicas, pondo de parte os passeios aos shoppings e as ofertas de gorjetas, sobretudo em países onde a “separação de facto” é valida quanto a “separação judicial”. Se já não comungam e a relação, tornou-se improdutiva, neste caso para os homens, que leiam o que Laura Macedo escreveu: “Quando se separar, divorcie-se. Tem sempre alguém lá de trás pronta para viuvar”.

José Gama

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: