Para o vice-ministro, “as duas mil casas, que irão constituir os bairros sociais da juventude, são uma gota no oceano. Mas, é uma resposta prática ao apelo do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, no sentido de cons-truir-se um milhão de novas residências para beneficiar, sobretudo, os jovens recém-casados ou recém formados”.

De acordo com Gonçalves Muandumba, o “Angola Jovem” é um instrumento de execução do Plano Executivo de Apoio à Juventude, aprovado pelo Governo, em 2005.Neste âmbito, serão implementados 11 projectos diversos, fundamentalmente de carácter transversal, que beneficiarão nos próximos quatro anos, mais de seis milhões de jovens empreendedores, estudantes e, sobretudo, os mais carenciados.

Os bairros sociais para a juventude já estão a ser erguidos em todas as províncias do país, estando alguns em fase avançada de conclusão. Cada residência comporta três quartos e custará o equivalente em Kwanzas a 30 mil dólares americanos, que serão pagos num prazo que vai de 15 a 20 anos, com crédito financiado pelo Banco de Poupança e Crédito (BPC).

Os beneficiários destas moradias, deverão ter idade compreendida entre os 18 e 35 anos, ser recém-casados sem casa própria ou estudantes que terminaram recentemente a sua formação, para além de outros requisitos e excepções, como é o caso de jovens que não têm os requisitos mencionados mas que sejam desmobilizados de guerra.

Abertas inscrições para obtenção de casa

O Ministério da Juventude e Desportos vai anunciar publicamente as condições e locais de inscrição dos candidatos. “De princípio, as inscrições serão feitas nas direcções municipais ou provinciais da Juventude, ou na sede do Programa Angola Jovem, sito no bairro Maculusso, em Luanda. Ou ainda através do site: www.portaldajuventude.com”, referiu.

A província de Luanda, por albergar a maior parte da população juvenil, vai receber anualmente 200 residências, mais 100 do que as restantes. Importa referir que a construção destes projectos habitacionais será suportada exclusivamente por fundos públicos, que serão colocados à disposição dos bancos para que possam realizar o processo de crédito bancário aos jovens interessados.

Centros comunitários

Ainda no âmbito do “Programa Angola Jovem”, até 2010 serão implementados 18 casas da juventude em todas as cidades capitais das províncias, 164 centros comunitários da juventude (contendo biblioteca, pólos desportivos, Internet, café, etc.).

900 mil jovens, sobretudo estudantes, beneficiarão de “cartão-jovem”, que lhes dará o direito a descontos especiais nos bilhetes de passagens dos transportes públicos e descontos na compra de livros.
Importa realçar que os beneficiários dos bairros sociais da juventude deverão ser residentes do local em que se candidatam e não poderão arrendar ou vender a casa, sendo obrigatório que os mesmos residam nas respectivas moradias.

“Muitos são os projectos previstos, assim como a nossa vontade de fazer mais e melhor em prol da juventude. Beneficiar os jovens de todo o país é o nosso grande desafio, para que, desta forma, possamos materializar a feliz afirmação do Presidente da República, segundo a qual é necessário fazermos de Angola um bom lugar para viver”, rematou Gonçalves Muandumba.

Fonte: Jornal de Angola



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: