Lisboa – A revolta que a antiga deputada do MPLA, Tchizé dos Santos, manifesta publicamente pela sua madrasta Ana Paula dos Santos, é segundo apurações resultado de um quadro que a mesma presenciou logo após o seu pai, José Eduardo dos Santos (JES), ter sido abandonado pela antiga primeira dama, há 5 anos.

Fonte: Club-k.net


Analista diz que “Ana Paula virou  viúva indigna, por abandono do  lar”

De acordo com apurações Ana Paula dos Santos abandonou Eduardo dos Santos, em Março de 2017, sem que o público nacional tivesse dado conta. Deixou o palácio presidencial, para ir viver em Londres, a pretexto de acompanhar a filha, Joseane dos Santos, que estava gravida.

 

Em setembro daquele ano aquando da tomada de posse do novo Presidente João Lourenço como novo Presidente, fazia já 6 meses que a então primeira dama, não morava mais no palácio presidencial. Para não dar nas vistas, Eduardo dos Santos socorreu-se em Tchizé dos Santos, para lhe acompanhar no último acto feito como Presidente da República, que foi a inauguração do Monumento ao Soldado Desconhecido, no dia 23 de setembro de 2017.

 

Novamente solicitou a filha para lhe acompanhar na cerimonia de tomada de posse do novo PR, inclusive fizeram fotos juntos na porta principal do palácio. Em última da hora Ana Paula dos Santos, apareceu na cidade Alta, depois de ter sido implorada pelo cardeal Dom Alexandre do Nascimento, a regressar a Luanda, e ser ela acompanhar JES, naquela importante cerimonia de passagem de pastas.

 

Depois da passagem de cerimonia de investidura, o antigo Presidente Eduardo dos Santos foi para a nova residência no Miramar e Ana Paula dos Santos rumou para um apartamento, pertencente ao filho Danilo dos Santos, no 15 andar do edifício Solar do Alvalade, em Luanda.

 

Tchizé dos Santos que também estava separada e com os filhos a estudarem em Londres, foi viver com o pai na residência do Miramar, acompanhando-o em algumas saídas.

 

A nível da sociedade, a separação de JES e Ana Paula, passava por despercebido, uma vez que o casal raramente tinha atividades públicas. Mas, o a separação já estava a ser difícil de se esconder sobretudo quando no primeiro aniversário de JES, fora do poder, em 2018, foi a Tchizé dos Santos, com quem o antigo estadista abriu o salão, e não a esposa Ana Paula.

 

No mês seguinte quando se realizou o VI Congresso extraordinário do MPLA, em que JES deixou a liderança do partido para João Lourenço, a esposa Ana Paula dos Santos voltou a não ser vista a entrar com o “arquitecto da paz”. Novamente, JES entrou ladeado da filha Tchizé dos Santos.

 

Em 2019, JES viajou para Espanha em busca de tratamento médico. A filha Tchizé dos Santos viajara para Londres devido a problemas de saúde de umas das crianças, mas em 2020, mudou a sua residência para os arredores de Barcelona, para acompanhar de perto o pai abandonado. JES vivia na nova “residência oficial” em Espanha com o filho “Coreon Dú”, tendo a visita constante dos filhos e da primogênita Isabel dos Santos, que inicialmente custeava a sua estadia, em substituição do general Leopoldino do Nascimento.

 

Para o desgosto de Tchizé dos Santos, terão circulado vídeos e imagens da madastra em festas e algumas vezes aparentemente embriagada, que segundo o analista Carlos Piedade, “Aqui houve uma desonra, pois a senhora aparecia publicamente com outras pessoas, pelo que julgamos que entre os casais deve haver respeito entre os conjugues”, e o “Estado angolano não pode credebilizar pessoas que descredibilizam as suas famílias”.

 

Num texto difundido nas redes sociais, o economista e antigo SG da JURA-Renovada, Adalberto Bravo da Costa, diz ter alertado que “Ana Paula virou uma viúva indigna, por abandono do seu lar por mais de 5 anos”.

 

“Daí, à luz da Lei da família vigente quer na Espanha quer em Angola, não tem direito a nada que venha do seu antigo estatuto de primeira dama e viúva do ex PR, por ter sido esposa do JES”, escreveu considerando que “o amigo dela, o JLo, pode lhe oferecer um status, mas tão logo ele deixe o poder ela vai ser destituída, por indignidade”.

 

Para Bravo da Costa “se ela queria manter o seu status de ex-primeira dama e viúva do ex-presidente da república, então os seus advogados falharam redondamente. Como a incompetência tem um custo alto, aí está; portanto, não é só a Ana Paula que está passar vergonha, mas o país inteiro.”

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: