Luanda - A Amnistia é um expediente muito valioso para recomeçar o processo de edificação de uma nação; e, se for bem explorada, pode se transformar em um instrumento de construção da Paz Social. - Somos chamados a perdoar setenta vezes Sete.

Fonte: Club-k.net

A "dura lex sed lex" nem sempre cumpre com os propósitos da justiça. Quem no lugar da "dura lex" usar a Equidade, para além de pacificar, educa; e, para além de educar, moraliza a sociedade e constrói pontes para a reconciliação genuína.

 

Todos nós, incluindo os governantes e os vários poderes: Legislativo, Judicial e Executivo, estamos em um Processo de Aprendizado... Isto de combater a corrupção é novo para Todos. Anteriormente, pouco ou na se sabia do combate visível contra a corrupção. Hoje, apesar de a realidade ser diferente, deparamos-nos com uma particularidade: estamos a combater a corrupção com os mesmos instrumentos que serviram a corrupção. Isto é um desafio enorme! Praticamente, estamos a aprender a combater a corrupção... Por ser um processo novo, os erros e os excessos tornam-se inevitáveis. Daí o apelo à concertação e à capacidade de se recuar e se dar passos para trás, sempre que necessário. Dialogar, dialogar e dialogar cada vez mais é de homens NOBRES.

 

A proposta de uma Amnistia aos crimes financeiros, na fase que atravessamos, seria uma boa saída. A morte prematura do presidente José Eduardo dos Santos deveria nos ajudar para se fazer uma reflexão profunda e representar um virar de página para todos os angolanos.


Os radicalismos, as posições extremas deveriam ser zerados. A Pátria tem de aprender a passar os passivos para trás, sempre que eles ocorrerem, e, rapidamente, avançar para resolver os problemas do dia-a-dia com soluções actuais. Não podemos passar a vida a culpar o passado.

 

Já perdemos muito tempo com a guerra, agora, deveríamos ganhar tempo com a Paz.

Voltarei...

Luanda, 13 de Julho de 2022.

Gerson Prata

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: