Lisboa – O Comité Provincial do MPLA, em Luanda, suspendeu nesta terça-feira, dois dirigentes da sua Comissão Executiva que foram citados num informe da Polícia Nacional (PN), como responsáveis pela presença dos motoqueiros na Ilha do Cabo, onde ocorreram vários actos de vandalismo, incluindo a queima de uma viatura e vários materiais de propaganda política do partido do governo.

Fonte: Club-k.net

Trata-se de Mario Durão e Wankana de Oliveira, que estão a ser ouvidos pelo Serviço de Investigação Criminal. O MPLA, alega que os mesmos realizaram uma passeata de motoqueiros para "enaltecer" o PR, na abertura da campanha eleitoral em Luanda, a revelia das entidades superiores do partido.


Ao mobilizarem os motoqueiros, os responsáveis pelas arruaças, prometeram dar  10.000 kwanzas a cada participante. Aos órgãos de comunicação social, Wankana de Oliveira garante que as promessas de gratificação foram cumpridas e aponta "infiltrados" como causadores dos distúrbios.

 

Wankana Oliveira, que é igualmente secretário para a informação da Associação de Jovens Unidos e Solidários (AJUS), confirmou que os coordenadores das "placas" (local onde se juntam os taxistas e mototaxistas) prometeram gratificações aos participantes, cujo valor não quis revelar, nomeadamente para pagar o combustível.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: