Luanda – A embaixada dos EUA em Luanda, fez sair uma nota de imprensa fazendo correção aos pronunciamentos do novo embaixador que depois de uma audiência com o Presidente João Lourenço, falou a imprensa usando um slogan do MPLA, “só não vê que não quer”.

Fonte: Embaixada

O embaixador dos EUA, Tulinabo Mushingi, reuniu-se com o Presidente Angolano João Lourenço, no dia 26 de Julho de 2022, para discutir uma série de questões de interesse mútuo, incluindo a promoção da segurança regional, prosperidade económica e a actual assistência ao sector da saúde. Com o Presidente Lourenço e numa reunião de seguimento com o Ministro da Relações Exteriores Teté António, no dia 27 de Julho, o embaixador Mushingi reiterou o nosso apreço pelos esforços diplomáticos de Angola para promover a estabilidade regional na região dos Grandes Lagos. Ele também compartilhou a visão do Presidente Biden para a Cimeira de Líderes EUA-África de Dezembro, e a sua intenção de convidar o Presidente da República de Angola. A Cimeira procura colaborar com os líderes Africanos em prioridades globais compartilhadas, ao mesmo tempo que sublinha o compromisso duradouro dos Estados Unidos com o continente.


Americanos e Angolanos têm trabalho lado a lado para alcançar resultados e os EUA continuam engajados como um parceiro comprometido com a promoção da segurança, prosperidade e boa governança em Angola. Tendo celebrado recentemente 246 anos de independência, os Estados Unidos não são estranhos ao processo democrático e à vigilância contínua necessária para garantir que todos os cidadãos tenham a oportunidade de eleger os seus representantes num clima livre de violência e intimidação. No nosso apoio por uma Angola democrática, os Estados Unidos têm e continuarão a envolver todos os partidos políticos, bem como a sociedade civil Angolana. Os Estados Unidos orgulham-se de apoiar as reformas democráticas de Angola por meio de formação disponível para todos os partidos políticos e a sociedade civil na busca de um objectivo comum: abraçar a democracia plena com eleições livres, justas e credíveis.


Os Estados Unidos acreditam que Angola tem uma oportunidade, nas próximas eleições, para demonstrar o seu compromisso com a democracia através de eleições livres, justas e transparentes. Como parceiro para o progresso, continuaremos a trabalhar com representantes do governo Angolano escolhidos pelo povo Angolano, sociedade civil Angolana e o sector privado em benefício do povo Angolano e Americano.

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: