Luanda - O Presidente da República de Angola aprovou, em vésperas de o executivo entrar em gestão corrente, 230 milhões de euros de créditos não orçamentados, dos quais mais de metade para investimentos em Benguela, Luanda e Namibe.

Fonte: Lusa

Os créditos adicionais suplementares estão contemplados em decretos presidenciais publicados no Diário da República de 23 de julho, a que a Lusa teve hoje acesso.

Em causa está o pagamento de despesas relacionadas com os projetos do governo provincial do Namibe, despesas de apoio ao desenvolvimento e do Programa de Investimento Público do governo provincial de Luanda e despesas relacionadas com os projetos de funcionamento e investimentos da província de Benguela.

Num outro decreto presidencial, o Presidente da República autorizou a abertura do crédito adicional suplementar no montante de 35 mil milhões de kwanzas (80 milhões de euros) para as despesas inerentes à concessão de subsídios a preços de produtos da cesta básica no âmbito da operacionalização da Reserva Estratégica Alimentar (REA).

Num outro diploma, João Lourenço, que se recandidata a um novo mandato e iniciou em 24 de julho a campanha para as eleições de 24 de agosto, autorizou a despesa para a contratação, por ajuste direto, de serviços de manutenção dos equipamentos de inspeção não intensiva da Administração Geral Tributária, no valor de 301 milhões de kwanzas (684 mil euros).

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: