Luanda - Que representação tão pobre deixou ontem na TPA. Um discurso descontextualizado no tempo e no espaço com dizeres que não reflectem o espírito da festa democrática que se vive no país e tão pouco o sentimento do povo angolano.

Fonte: Club-k.net

Angola de hoje, é Angola do amor e não do ódio e das ameaças subentendidas. É Angola do perdão recíproco que se deve a este povo roubado, desempregado, esfomeado e humilhado.

 

Só a ausência do estado da lei permite o que se ouviu ontem na TPA. Afinal, onde andam as instituições com competências de administrar a justiça em nome do povo para cuidar daqueles que violam a lei em vez dos recadinhos truculentos do Sr. Jú Martins que nada faz para que a República de Angola seja um verdadeiro Estado Democrático de Direito?

 

Por que é que o executivo subordina tudo e todos, violando a lei que determina a separação de poderes e interdependência de funções, o pluralismo de expressão e de organização política e a democracia representativa e participativa?

 

Os angolanos jamais farão depender a sua vontade a dos partidos políticos e tão pouco a do todo poderoso Sr. Jú Martins que se deixou ficar nú ontem na TPA.

 

Se a UNITA matou o fantasma do racismo em Angola ao eleger um negro de tez mais clara é também um acto de dignificação do próprio Jú Martins que só com este passo um dia teremos a oportunidade de o ver a si ou outro igual como Presidente do MPLA.

 

Aqui, ficaram mesmo ultrapassados e não vale o jogo baixo. Na UNITA, Adalberto Costa Júnior está bem firme doa a quem doer. Os golpes baixos que assistimos com anulação do XIII Congresso Ordinário, a cooptação de membros da UNITA para impugnações só reforçaram ainda mais a unidade interna do Partido em torno do seu Presidente.

 

Fique claro para sempre, o povo angolano não é racista. Racistas são as elites que utilizam o racismo para satisfazer seus interesses. Faço um repto ao Sr. Jú Martins para assistir um comício de Adalberto Costa Júnior para ver como é amado pelos angolanos. Enquanto que o outro candidato que todos conhecem leva forçosamente membros da UNITA, do PRS, da FNLA, da CASA-CE, do BD, do PRA-JÁ SERVIR ANGOLA e de militares das FAA obrigados de forma humilhante, por não ser esta a sua missão, a “fardar roupa civil” para os seus comícios só para ludibriar percepções para fins inconfessos.

 

Apesar de tudo isso, Angola vai mesmo mudar no dia 24 de Agosto de 2022. Só lunáticos (que vivem na lua e não em Angola) podem sustentar o contrário.

 

Por General Abílio Kamalata Numa

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: