Luanda - O secretário executivo do Conselho Provincial da Juventude de Luanda (CPJ), Alberto Dala “Baduna”, instou nesta terça-feira, 16, os jovens da capital do país, a não seguirem à palavra de “ordem” defendida pela sociedade civil e pelo maior partido na oposição sobre a necessidade de “votou/sentou”.

Fonte: Club-K.net

Segundo o líder juvenil, Alberto Dala, que intervinha no encontro com os jovens do município do Talatona, em Luanda, no quadro da sensibilização do eleitorado jovem para a sua participação cívica nas eleições gerais de 24 de Agosto, disse que as quintas eleições são uma oportunidade para a juventude angola, demonstrar mais vez, a sua maturidade e elevação democrática.

Organizações da sociedade civil angolana, bem como a liderança da UNITA, maior partido na oposição, têm apelado aos eleitores para que permaneçam nas proximidades das assembleias de voto para evitar a fraude eleitoral, motivando a definição do movimento “Votou/Sentou”.

Para a UNITA,”não existe nenhuma ilegalidade” de os eleitores permanecerem nas proximidades das assembleias de voto, numa distância que a Lei orgânica sobre as Eleições Gerais prevê.

O líder do Conselho Provincial da Juventude de Luanda, tem uma visão diferente, por isso, Alberto Dala, que “desencoraja” tal iniciativa, entende a acção de “votou/sentou” pode “beliscar o processo eleitoral, criando assim instabilidade a volta das assembleias de voto”.

“Os jovens são chamados a fazerem parte desta grande festa democrática, onde cada um de nós vai exercer o seu papel de cidadania expressando deste modo, e de forma consciente, patriótica e cívica, o voto a quem poderá dirigir o país num mandato de cinco anos”, disse o líder do CPJ.

De referir que, o porta-voz da Comissão Nacional Eleitoral (CNE), Lucas Quilundo, considerou recentemente que a permanência de cidadãos junto às assembleias de voto “tem potencial para gerar atrito”, apelando a que abandonem o local após terem votado.

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: