Lisboa – O Presidente de Angola, João Manuel Gonçalves Lourenço, que nas eleições de 24 de Agosto, concorre a sua própria sucessão, está habilitado a ter nacionalidade portuguesa, por via do matrimônio com Ana Dias Lourenço.

Fonte: Club-k.net

Membros da familia presidencial com dupla nacionalidade

Documentos que o Club-K teve acesso indicam que aos 14 de Julho de 1995, Ana Dias Lourenço, ao tempo Chefe de Investimentos Departamento do Ministério do Planeamento de Angola, tirou a nacionalidade portuguesa, por via do seu avô paterno Aurélio Afonso Dias, que é natural da freguesia de Avelar, distrito de Leiria, no Centro de Portugal.

 

No dia 1 de Novembro de 2013, Ana Dias Lourenço averbou o esposo João Lourenço com quem está casada desde 6 de Setembro de 1986, em Benguela. Por conta deste averbamento foi produzido o assento 19401/2013 da conservatória do Registro Civil de Lisboa, que habilita João Manuel Gonçalves Lourenço, a obter também a nacionalidade portuguesa.

 

Ana Dias Lourenço, passou a cidadania portuguesa a todas as filhas. A primeira a tirar a nacionalidade foi a segunda filha Cristina Giovanna Dias Lourenço, conforme atesta o assento de nascimento 44262, passado pela conservatória dos registros centrais de Lisboa, aos 25 de outubro de 2015.

 

No ano seguinte, foi a vez da primogênita, Jessica Lorena Lourenço, cujo assento de nascimento 45284, foi tirado aos 24 de Outubro de 2016, pela conservatória dos registros centrais de Lisboa.

 

Henrique Manuel Pires Lourenço “Iko”, o varão de João Lourenço com uma cidadã do Lubango Paula Maria Fernandes Pires, adquiriu também a nacionalidade portuguesa, dois anos depois de o pai assumir o poder em Angola. Apesar de ter vivido em Portugal, onde andou na escola militar, “Iko” Lourenço, que é geólogo de formação, obteve o seu assento de nascimento português (numero 1443) a partir do consulado de Portugal em Luanda, aos 21 de Outubro de 2019.

 

O tema das duas nacionalidades nas elites politicas em Angola foi inaugurado em fevereiro de 2021, quando o BP do MPLA, avançou com ataques xenófobos e racista contra Adalberto da Costa Junior da UNITA, a quem o partido no poder que tinha a liderança com os dias contados.

 

Durante um comício proferido no passado mês de Julho na província do Kuando Kubango, o líder do MPLA, João Lourenço – sem nomear ninguém - atacou os políticos que tem dupla nacionalidade acusando-os de desonestos com o povo.

 

«(…), Os candidatos do MPLA á Presidência da República, Vice-Presidência e Deputados, não têm dupla nacionalidade e não foram desonestos com o povo, os partidos onde os políticos são apenas angolanos a escolha é óbvia, «o candidato da UNITA Adalberto Costa Júnior» tem dupla nacionalidade», disse João Lourenço.

 

«Hoje estão a concorrer nessas eleições (Angola) amanhã, vão poder concorrer às eleições nos outros países(Portugal), porque esses candidatos não são só cobardes como são também desonestos», repontou o líder do MPLA.

«Por isso o MPLA é a escolha óbvia, porque não tem candidatos com dupla nacionalidade», disse o candidato do MPLA João Lourenço, no acto de massa na província do Cuando Cubango.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: