Lisboa – As autoridades angolanas retiveram nesta quarta-feira, 24, em Luanda,  a cidadã israelita Riki Herzeberg, quando ela se preparava para deixar Luanda, e prestes a pegar  um voo de ligação para a sua terra natal.

Fonte: Club-k.net


Ministro Laborinho promete investigar

Em Luanda,  desde algumas semanas,  Riki Herzeberg, é a responsável da Adi Timor, uma consultora israelita  contratada pela UNITA, para os trabalhos de marketing eleitoral nestas eleições. Ao ser interpelada pelas autoridades migratórias no aeroporto internacional de Luanda, “4 de Fevereiro”, a especialista, de 45 anos de idade, foi levada para uma sala privativa para interrogatórios e para vasculhas dos seus pertences. As autoridades quiseram saber dela  a natureza do trabalho que a sua empresa prestou para o partido fundado por Jonas Savimbi.

 

Depois de liberada, a especialista comunicou a  UNITA, sobre o sucedido.  A UNITA, segundo apurou o Club-K, protestou junto do ministro do interior, Eugénio Cesar Laborinho, e este alegou ter sido “excesso de zelo” das forças sob sua tutela prometendo a abertura de um inquérito.

 

Antiga assistente da chancelaria  de defesa da embaixada de Israel nos EUA, Riki Herzeberg, veem sendo acompanhada pelas autoridades angolanas desde o momento  que a sua empresa passou a ter contactos  para assessorar a campanha eleitoral da UNITA. 

 

O portal conotado ao regime “Tribunal de Angola”, criado para denigrir opositores em Angola, apresenta Riki Herzberg como  ligada à Mossad, alegando que terá  trabalhado com o Coronel Nitzan Nuriel, antigo chefe da equipa de segurança nacional de Israel.

 

O regime angolano, conforme dados do referido portal, dá sinais de tê-la nas listas de estrangeiros sob vigilância. Manifestam desconfianças de que Riki Herzberg, seja uma profissional especializada em descobrir segredos de fraudes eleitorais.

 

Há poucos semanas, Carlos Alberto, um quadro  dos Serviços de Inteligência de Angola, moveu uma campanha contra a mesma divulgando copia do seu passaporte, que lhe terão sido fornecidos pelo  Serviço de Migração Estrangeiro (SME).

 

Para além da UNITA, Riki Herzberg, trabalhou como consultora em processos eleitorais em países africanos como Malawi, que culminou com a vitória da oposição. Trabalhou igualmente para a campanha eleitoral da FRELIMO, em Moçambique.

 

Pelo menos, dois dos partidos da oposição da região da SADC, chegaram ao poder, depois de terem confiado a sua propaganda a ADI TIMOR. Quando o regime angolano tomou conhecimento que esta  empresa  estava a assessorar a UNITA, tentou uma aproximação (interpretada por aliciamento), mas os responsáveis desta consultora terão replicado que por questões de ética empresarial não podem trabalhar para a campanha do MPLA.

 

A recusa por parte consultora ADI TIMOR, deu lugar a fenômenos inéditos. Em Fevereiro deste ano, depois de tomar conhecimento que o Presidente da UNITA Adalberto Costa Jr,  estava em Israel, a convite da ADI TIMOR, o Presidente João Lourenço, solicitou um contacto telefónico com o novo Primeiro Ministro de Israel, Naftali Bennett, que é o alto oficial que trata da politica externa, deste país, mas por indisponibilidade deste, requereu como alternativa um telefonema ao Presidente deste  Estado.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: