UÍGE — Pelo menos cinco jovens detidos na noite de sábado, 26, na província angolana do Uíge, por suspeita de influenciarem a comemoração de uma suposta vitória da UNITA nas eleições ainda não foram apresentados ao tribunal para legalização da prisão.

Fonte: VOA

Entre os detidos, encontra-se o activista Guimarães Ganga, que integra o projecto Mudei.

 

O activista "Antílope", "no sabado, por volta das 18 horas foi raptado o mano Libertador, bem como outros activistas e outros jovens, até agora não temos o numero exacto porque não estão a permitir-nos ter contacto com eles".

 

A mesma fonte acrecenta que a Unidade de Reacção e Patrulhamento (URP) defeteve pessoas para impedir possíveis manifestações porque se dizia que a UNITA tinha ganho as eleições.

 

Por sua vez, o advogado de defesa do activista Guimarães Canga, Jaconias Pascual, explica que ainda não foi constituído nenhum processo-crime e aguarda pelo interrogatório do seu constituinte.

 

“Procuramos manter o contacto para saber quem era o instrutor do processo, infelizmente disseram-nos que o processo não tem ainda um instrutor porque a URP, que fez o processo de recolha de pessoas não é do nível da província, só recolheu-lhes e levou até ao SIC, todos eles que estão nessa condição serão ouvidos e só depois terão o rocesso formalizado”, conta o advogado.

 

Jocanias Pascual, que também falou na condição de jurista, apela aos órgãos de segurança nacional, no sentido de estarem preparados para fazer face às possíveis manifestações que poderão de acontecer nos próximos dias.

 

Sem gravar entrevista, muitos activistas na província do Uíge dizem estar a circular nas ruas com receio de serem detidos.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: