Luanda - Zenaida Gertudes dos Santos Ramos Zumbi, apresentou recentemente demissão do cargo de Presidente do Conselho de Administração do Banco de Comércio e Indústria (BCI), que vinha exercendo desde Novembro de 2019.

Fonte: Club-k.net

O pedido de descontinuidade no cargo foi na sequencia de o BCI ter sido adquirido pelo grupo Carrinho por via bolsa. Os novos acionistas deverão nomear um novo Conselho de Administração. 


Jurista de formação, Zenaida Zumbi tornou-se aos 42 anos de idade a primeira PCA de um banco estatal em Angola, depois de ter passado pelo Banco Prestigio. A sua nomeação, em 2019 foi por efeito de um convite da ministra das Finanças, Vera Esperança dos Santos Daves De Sousa, de quem é amiga de longa data.


Dez meses após a sua nomeação, Zenaida Zumbi foi alvo de reparos por se ter concedido um crédito de AKZ 420 milhões, para comprar um imóvel. O empréstimo violava a lei das instituições financeiras, que proíbe os membros do Conselho de Administração de bancos de se atribuir empréstimos para si e aos demais membros da sua família.


O crédito, segundo o contrato, é para ser pago em 20 anos, ou seja, quando Zenaida Zumbi estiver com 62 anos de idade.


Quatro meses depois, Zenaida Zumbi entendeu que deveria fazer obras de reparo da mesma habitação. Isto é, aos 24 de Abril de 2020, a PCA do BCI escreveu para si mesma uma carta com o assunto "Incremento ao crédito habitação”, solicitando mais 100 milhões de kwanzas “face as alterações constantes do sector financeiro de modos a permitir a execução das obras de expansão ao imóvel”.


De acordo com advertências, a então PCA do BCI terá violado a Lei n.º 12/2015, de 17 de Junho que proíbe membros de Conselhos de Administração de bancos a concederem créditos a si próprios.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: