Luanda - O julgamento do activista angolano Gilson Moreira da Silva `Ta Nice Neutro` arrancou hoje no Tribunal da Comarca de Luanda, centro da cidade, com forte aparato policial à entrada do tribunal e barreiras que impedem a circulação de viaturas.

Fonte: Lusa

O julgamento, em que o arguido é indicado dos crimes de instigação pública, ultraje ao Estado, rebelião e outros, decorre desde as 10:30 locais (mesma hora em Lisboa) na 1.ª secção do Tribunal da Comarca de Luanda.

 

o ativista foi detido após ter sido apanhado em fragrante alegadamente a fazer um direto nas redes sociais, a partir do Hospital Prisão São Paulo, em que mostrava as condições em que estava detido o ativista Luther Campos, que tinha sido detido dois dias antes.

 

À entrada do tribunal, na rua Rainha Ginga, não passava despercebida a presença de efetivos da polícia, que colocaram barreiras para a circulação automóvel, deixando ambas as faixas de rodagem bloqueadas.

 

Alguns ativistas tencionavam protestar frente ao tribunal em "solidariedade" para com o seu `irmão` Ta Nice Neutro para "exigir libertação imediata" do também considerado "preso político".

 

Gilson Moreira da Silva, detido em 14 de fevereiro deste ano, está internado no Hospital Prisão São Paulo, em Luanda.

 

Segundo a defesa, a sua condição de saúde inspira cuidados e esta foi uma das questões prévias apresentadas pelo advogado Francisco Muteka no início da sessão.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: