Luanda – Mariquinha Helo Cintura, de 25 anos de idade, até então residente no Zango 2, município de Viana, em Luanda, em estado de gestação, é dada como desaparecida de forma misteriosa há mais de 90 dias. O Imparcial Press sabe que a mesma foi vista pela última vez (pelos seus familiares) no passado mês de Junho do corrente ano.


Fonte: Imparcial Press
Até ao momento sem qualquer pista nem rasto, uma denúncia que o Serviços de Investigação Criminal (SIC), na esquadra do Mindef, também não consegue dar resposta, apurou o Imparcial Press junto de familiares desesperados.

 

A procura incessante pelo paradeiro de Isabel, como é carinhosamente chamada pelos mais próximos, natural da Ganda, província de Benguela, sem pistas até ao momento, leva os familiares a questionar o silêncio e despreocupação do suposto marido com vivia, que responde pelo nome de Francisco Adão (Ti Rocha), 37 anos, a última pessoa com quem Isabel teve contacto antes de sumir da vista da vizinhança, alegam familiares.

 

“A nossa maior preocupação é o silêncio e a falta de preocupação do homem que lhe engravidou de nome Francisco Adão Ti Rocha”, com quem morava no Zango 2. Depois de muito tempo desaparecida, as vizinhas disseram que o marido estava na casa dela. Quando arrombamos a porta por desconfiança de que algum mal tivesse acontecido com a Isabel, foi assim que encontrámos todos os seus pertences e toda documentação pessoal, o cartão de maternidade através do qual conseguimos identificar o marido”, afirmou um dos irmãos.

 

De acordo com a fonte, entre os pertences de Isabel encontrados na casa onde vivia, o cartão multicaixa do banco BAI era o único documento ausente da sua carteira de bolso, o que, no entender dos familiares e dos vizinhos, significaria que ela regressasse tão cedo quanto possível.

 

“Nós vimos as coisas que ela deixou em casa parecia-nos que não tinha ido longe, mas o desespero levou-nos a fazer denúncia no SIC e o senhor Rocha foi chamado para responder, mas ele também disse que desconhecia o paradeiro da nossa irmã mas admitiu que a última vez que estiveram juntos deixou 220 mil kwanzas para a nossa irmã pagar a renda de casa, porque ele, Ti Rocha, iria viajar para província de Cabinda. De lá para cá o senhor não se preocupa pelo menos como pai do filho que vai nascer da nossa irmã com quem o Ti Rocha conviveu, nem fala com a família, e o SIC também não diz nada", lamentou um dos familiares.

 

Mariquinha Helo Cintura (Isabel), trabalhava como cabeleireira, mãe de dois filhos da antiga relação, morava no Zango 3, mas, segundo familiares, passou a morar no Zango 2, na rua do Congo, com o actual marido de quem está grávida.

 

Nesta ocasião, alegam os familiares, as vizinhas contam ainda que Francisco Adão (Ti Rocha) chegou a oferecer o telemóvel (Android) à Isabel, mas que dias antes do desaparecimento da jovem este teria recebido de volta o mesmo telemóvel, informação confirmado pelo próprio “Ti Rocha” quando, alegadamente questionado pelo SIC.

 

Desesperados, os familiares apelam a colaboração da sociedade no geral para que se possa encontrar a jovem Isabel, uma vez que, conforme a fonte, o SIC, destacado na esquadra do “Mindef” da Polícia Nacional, no Zango, não dá pistas sobre o paradeiro da jovem desaparecida desde Junho último e o suposto marido está de braços cruzados como se nada tivesse acontecido com a mulher com quem ele conviveu e autor da gravidez, quanto mais só deu a cara por intermédio do SIC.

 

“Em nenhum momento Rocha apareceu ou contactou a família desde o desaparecimento da Isabel, mesmo diante do SIC só apareceu para se defender”, concluiu a fonte.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: