Lisboa - O jurista Felix Sumbo detido, este fim de semana, na direção província de investigação Criminal e Cabinda (DPIC) esta com o estado de  saúde frágil devido a uma  recente  intervenção cirúrgica ao coração e que ainda  esta cuidados médicos. O mesmo havia aproveitado o  fim de semana prolongado para comprar medicamentos em Ponta Negra e no  regresso foi surpreendido na fronteira de Massadi por policias que queriam vasculhar a sua viatura  deixada naquela localidade.


Fonte: Club-k.net


Na viatura, foi encontrada  um versículo bíblico; João Capitulo8 verso 32, com os dizeres “Conheceras a verdade e a verdade te  liberará”. Foi também encontrado uma camisola cujo  verso trás a fotografia do  Padre Raul Taty;  do advogado Francisco Luemba, do acadêmico Belchior Tati  e de mais outros dois. As autoridades angolanas alegam tratar-se crime contra a segurança de Estado.


Felix Sumbo, trabalha na Chevron em Cabinda e foi próximo a extinta organização cívica,  Mpalabanda. É  co-actor da carta dos intelectuais de Cabinda enviada em 2006 ao Presidente da Republica, alertando-o dos “riscos e da fraca visão política” que mancharam o processo que conduziu o acordo de paz com  Bento Bembe  e o governo angolano.

 

Revelava-se critico do citado acordo, não obstante a problemas pessoas que tem com Bento Bembe que os seus familiares acusam de ter morto, Celestino Nvula irmão mais velho de Felix Sumbo, enquanto chefe da FLEC RENOVADA nas matas de Cabinda. O incidente terá acontecido quando Nvula tentava reganhar o lado do Governo de Angola, ha cerca de quinze anos.

 

De recordar que as autoridades angolanas levam a cabo uma onde de prisão contra figuras no enclave que se identificam críticos ao memorando de paz do Namibe. Em Janeiro por altura do CAN 2010, guerrilheiros da FLEC atacaram uma caravana de jogadores tendo o incidente servido de justificação para detenção em massa de figuras criticas na província. 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: