Luanda - O Ministério das Finanças angolano alertou hoje para uma burla que usa uma falsa garantia com assinatura da ministra da tutela, Vera Daves de Sousa, para um suposto fundo de subsídios de negócios

Fonte: Lusa

Numa nota de esclarecimento, o Ministério das Finanças refere que o documento falso tem como assunto “Aprovação do Fundo de Subsídio de Negócios”, a data de 19 de outubro de 2022 e o número de série: MIN/GAO/B9-FIN16.

O Ministério das Finanças esclarece que o documento “apresenta uma assinatura falsificada em nome da ministra das Finanças, Dra. Vera Daves de Sousa”.

No documento, a ministra supostamente certifica que o seu “escritório confirma o recebimento de seu formulário de inscrição enviado [para] um programa de subsídio corporativo”.

O mesmo documento também dá nota de que seriam alocados fundos do orçamento atual, para atender à suposta solicitação.

“O Ministério das Finanças desmente a autenticidade de tal documento, cujo conteúdo, natureza e assinaturas são completamente falsos, além de repudiar e se demarcar desta tentativa de burla”, sublinha a nota.

De acordo com o Ministério das Finanças, parece tratar-se de “uma rede de falsificadores” e burlões, mas está seguro de que as instâncias competentes, em matéria policial e judicial, “farão as diligências necessárias para a sua neutralização e penalização”.

À sociedade, em especial à classe empresarial, o Ministério das Finanças apela para que se atenham aos procedimentos e confirmem sempre a veracidade deste tipo de documentos e denunciem às autoridades a sua proveniência.

Para responder e dar tratamento às mais variadas preocupações dos cidadãos e empresas, o Ministério das Finanças coloca à disposição todas as suas áreas orgânicas e organismos tutelados habilitados para o efeito, vinca a nota.

O órgão ministerial aconselha os cidadãos a absterem-se de práticas similares, forjadas na tentativa de burlar ou lesar o bom nome da instituição e dos seus líderes de topo, reforçando o seu empenho no sentido de fazer com que todos os malfeitores, incluindo aqueles que recorrem ao uso de contas falsas nas redes sociais, sejam exemplarmente punidos.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: