Lisboa - O Consulado Geral de França em Luanda está a ser interpretado como tendo recentemente tentado boicotar o acto de celebração da Independencia Nacional realizado no passado dia 11 de Novembro pela embaixada de Angola em paris.

Fonte: Club-k.net

Para este ano, as autoridades angolanas decidiram festejar o dia da independencia com celebrações programadas em todo o Território Nacional, bem como nas Missões Diplomáticas e Consulares de Angola. A embaixada de Angola em paris, incluiu na sua agenda comemorativa, um programa cultural na qual convidou o músico Yanick Afroman e sua banda para se deslocaram a capital francesa. Para o efeito, enviou uma carta ao consulado de França em Luanda, solicitando a emissão do visto de viagem do mesmo comunicando que a viagem seria assegurada por aquela missão diplomática.

 

De acordo com um vídeo posto a circular nas redes sociais, o musico Yanick Afroman, queixa-se que foi sabotado pelo consulado francês, em Luanda, uma vez que deram-lhe visto apenas no dia da viagem com uma duração de oito dias.


O músico considera que foi sabotado porque o mesmo consulado recusou emitir visto para os membros da sua banda e com este bloqueios, o mesmo viu-se impedido de viajar. No mesmo vídeo divulgado nas redes sociais, e que o Club-K teve acesso, o músico apontou os nomes de “Daniel” e “Senhor Filipe”, como os alegados funcionários do consulado francês responsáveis pelo bloqueio na emissão dos vistos para os elementos da sua banda musical.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: