LUANDA — Dois activistas cívicos presos desde Janeiro em Luanda vão ter neste sábado, 19, uma marcha em Luanda para pedir a sua libertação.

Fonte: VOA

A marcha é promovida por cinco organizações da sociedade civil angolana e visa denunciar a situação em que se encontram Tanice Neutro e Luther Campos.


Neutro já foi julgado e o tribunal decidiu pela sua libertação com pena suspensa e pagamento de multa, mas continua preso condicionado a um pedido de desculpas públicas ao Presidente da República.

 

Luther Campos ainda está em prisão preventiva, sem data de julgamento.


Os activistas querem fazer ouvir a sua voz para pedir a libertação imediata dos “presos políticos”, como os consideram.

 

O autodenominado Movimento Revolucionário e o Movimento dos Estados Angolanos que estão na organização garantem uma “marcha de caráter pacifico e sem armas e já demos a conhecer ao Governo de Luanda", disse à VOA Pedro de Sousa, porta-voz dos promotores.


Quando foram detidos, a acusação a que a VOA teve acesso dizia que “no dia 14 deste mês (Janeiro), pelas 10 horas, em companhia de mais dois indivíduos não identificados, defronte às instalações do Serviço de Investigação Criminal (SIC), Tanaice Neutro foi encontrado fazendo vídeo em directo para as plataformas digitais e proferindo palavras injuriosas, caluniosas, ofensivas e com apologia à incitação de actos de rebelião e arruaça exigindo a libertação do seu amigo Luther King”.

 

No documento, lê-se também que o arguido teria “incitado o povo residente no país e no exterior a se rebelar contra a Polícia Nacional e o Presidente da Republica”.

 

Noutro documento, o outro activista Luther King é acusado de ter violado a medida cautelar de apresentação periódica que lhe tinha sido aplicada na sua primeira detenção emSetembro de 2021.

 

Juristas divergem sobre a sentença do juiz de exigir uma retratação pública de Tanice Neutro.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: