Luanda - O Inspector Geral da Autoridade Nacional de Inspecção Económica e Segurança Alimentar (ANIESA), Diógenes de Oliveira, foi eleito hoje, sexta-feira, 18, em Maputo, capital de Moçambique, vice-presidente do Fórum das Inspecções de Segurança Alimentar e das Actividades Económicas (FISAAE), uma organização dos países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Fonte: Club-k.net

A sua eleição teve o apoio consensual de inspectores gerais das organizações membros do FISAAE e foi proposto pela responsável máxima da Inspecção Nacional das Actividades Económicas (INAE), Maria Rita Freitas, que agora assume a presidência, nos próximos dois anos.

 

O jurista Diógenes de Oliveira foi empossado – no decorrer do VII Fórum das Inspecções de Segurança Alimentar e das Actividades Económicas – pela presidente da FISSAE, Maria Freitas.

 

Cabe ao vice-presidente eleito do FISSAE, segundo os Estatutos, preparar o próximo certame da organização, que provavelmente terá lugar em Luanda, em 2024. Além de apoiar a presidência na comunicação com as autoridades membros do Fórum e executar as demais tarefas incumbidas pela presidência.

 

Criada em 2016, o FISSAE engloba representantes de entidades da área da inspecção de Angola (ANIESA), Cabo Verde (ERIS, IGAE e ARFA), Moçambique (INAE), Portugal (ASAE), São Tomé e Príncipe (DCRAE), Brasil (ANVISA e INMET) e de Timor Leste (IAE). A Guiné Equatorial encontra-se representada pelo Representante Permanente daquele país junto da CPLP.

 

De realçar que uma delegação da ANIESA (em representação da República de Angola) participou activamente no VII Fórum das Inspecções de Segurança Alimentar e das Actividades Económicas da CPLP que termina hoje na cidade de Maputo, em Moçambique.

 

A realização do certame este a cargo da Inspecção Nacional das Actividades Económicas (INAE), de Moçambique, que nos últimos dois anos assumiu a vice-presidência da FISAAE e decorreu sob o lema: “Acções inspectivas no período pós pandemia: Medidas sanitárias, fiscalização, desafios e oportunidades”.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: