Lisboa - Os advogados de Isabel dos Santos “consultaram a base de dados da Interpol e não encontraram qualquer referência a um mandado de captura contra a empresária”, avança a agência de notícias Lusa este sábado.

Fonte: Lusa

No final da semana, a Lusa dava conta da existência de um mandado de captura internacional para extradição em nome de Isabel dos Santos, a pedido da Procuradoria-Geral da República de Angola.

 

Os advogados da empresária angolana dizem desconhecer o mandado de captura da Interpol contra a sua cliente. Num comunicado enviado à agência de notícias Lusa, fonte oficial de Isabel dos Santos afirma desconhecer “qualquer instrução da Interpol", salientando o facto de a empresária ser procurada, após “quase três anos de existência de tais processos”, sem nunca ter sido constituída arguida.

 

A reacção surge depois da agência de notícias Lusa ter noticiado que a Interpol tinha emitido um mandado de captura internacional para extradição de Isabel dos Santos, a pedido da procuradoria-geral da República de Angola.

 

O documento a que a Lusa teve acesso menciona que a empresária angolana é suspeita de “crimes de peculato, fraude qualificada, participação ilegal em negócios, associação criminosa e tráfico de influência e lavagem de dinheiro”. Isabel dos Santos incorre numa pena máxima de 12 anos de prisão.

 

Ainda de acordo a Lusa trata-se de um mandado de prisão preventiva. "Este pedido deve ser tratado como um pedido formal de prisão provisória, em conformidade com as leis nacionais e/ou os tratados bilaterais e multilaterais aplicáveis".

 

O mandado de captura internacional contra Isabel dos Santos refere que a empresária encontra-se entre Portugal, Reino Unido ou Emirados Árabes Unidos.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: