Lisboa - O Embaixador angolano, Joaquim do Espírito Santo, entrega nos próximos dias em Ottawa, as Cartas Credenciais que o oficializam como embaixador de Angola no Canadá, com o estatuto de não residente.

Fonte: Club-k.net

Joaquim do Espírito Santo, é embaixador Extraordinário e Plenipotenciário de Angola nos Estados Unidos da América com residência em Washington DC, e é também representante do estado angolano em 10 países, com realce para o Canadá e México.

O governo de Angola encerrou há poucos anos a sua embaixada no Canadá mas prontificou-se a abrir um Consulado Geral face ao numero de angolanos que este país acolhe. Em meados de 2022, foi já nomeado um Cônsul-Geral Mateus Barros José, que se encontra já em território norte americano aguardando para seguir a qualquer momento para o futuro posto de trabalho diplomático. Barros José, foi Inspector-Geral do MIREX e antes exerceu funções de diretor dos recursos humanos.

Embora os jornais em Angola, atribuem uma certa urgência de Luanda em substituir Joaquim do Espírito Santo, do cargo que ocupa, a velocidade que o mesmo tem empregue em seguir para o Canadá e depois México, é associada a uma agenda estabelecida pelo próprio destinada a deslocar-se com maior frequência nestes países, devido as ajudas de custos que estas viagens lhe proporcionam.

Na última deslocação do Presidente João Lourenço á Washington, o embaixador Joaquim Espirito Santo foi objeto de avaliação sobre o seu desempenho na capital norte americana, na qual concluiu-se da necessidade de nomear um novo embaixador e mais dedicado ao trabalho (Espirito Santo entra para trabalhar a partir das 11h).

Uma das reclamações apresentas a delegação presidencial angolana, era de Joaquim Espirito Santos para além da sua dependência aos lobbis, era um diplomata ausente e mais preocupado em “inventar” deslocações ao interior dos EUA, para visitar as comunidades, um trabalho que em condições normais seria da competência de um cônsul ou de um adido para as comunidades. Um irmão seu, Narciso Espírito Santo, tinha o mesmo habito (viagens para tomar proveito das ajudas de custos) ao tempo em que fora Consul Geral de Angola em Lisboa.

Em varias analises que correm, tem-se considerado o nome do embaixador de Angola na Turquia, José Gonçalves Martins Patrício que foi o primeiro representante diplomático de Angola nos EUA ainda no tempo do conflito armado entre o regime e a UNITA. O nome do General José Luís Caetano Higino de Sousa, "Zé Grande”, tem sido também destacado como alguém com o perfil adequado, mas de acordo com dados plausíveis, o mesmo tem se manifestado indisponível para novos cargos.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: